Auxílio de R$ 600: 3ª parcela começa no dia 17 para quem é do Bolsa Família

Calendário de pagamento tem como base o Número de Identificação Social (NIS) final, segundo o Ministério da Cidadania

atualizado 09/06/2020 12:00

Benefício de R$ 600 é para ajudar quem estão sem poder trabalhar durante a pandemiaHugo Barreto/Metrópoles

A terceira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 começa a ser paga no próximo dia 17 de junho para os beneficiários do programa Bolsa Família.

A data de pagamento tem como base o final do Número de Identificação Social (NIS), a começar pelo 1. O calendário se encerra em 30 de junho aos que têm NIS final 0.

Essas informações foram confirmadas ao Metrópoles pelo Ministério da Cidadania, responsável pelo calendário de pagamento do benefício emergencial.

Confira o calendário:
  • 17 de junho: Nis final 1
  • 18 de junho: Nis final 2
  • 19 de junho: Nis final 3
  • 22 de junho: Nis final 4
  • 23 de junho: Nis final 5
  • 24 de junho: Nis final 6
  • 25 de junho: Nis final 7
  • 26 de junho: Nis final 8
  • 29 de junho: Nis final 9
  • 30 de junho: Nis final 0

O cronograma de pagamento do auxílio de R$ 600 para o restante dos brasileiros (informais, CadÚnico e desempregados), contudo, ainda não foi divulgado pela pasta.

Além desses grupos, a Caixa Econômica Federal precisa pagar lotes da primeira, aos que estão em análise ou reanálise, e da segunda parcela.

Na prática, os calendários a serem anunciados são referentes às seguintes parcelas:
  • 1ª parcela: pessoas que estão em análise, seja pela primeira ou segunda vez;
  • 2ª parcela: 8,3 milhões de pessoas que receberam a primeira parcela do auxílio de R$ 600 em maio;
  • 3ª parcela: 51 milhões de pessoas que receberam a primeira parcela até abril e a segunda, em maio.

O presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, destacou que o pagamento vai ser feito de forma escalonada. “As pessoas não irão receber duas parcelas só de uma vez”.

Reunião ministerial

Na manhã desta terça-feira, durante reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou o pagamento de mais duas parcelas do auxílio emergencial.

“O mais importante são os próximos passos. O presidente já lançou, e comunicou isso, que por dois meses nós vamos estender o auxílio emergencial. Nós estávamos em um nível de emergência total a R$ 600, vamos começar agora uma aterrissagem, com a unificação de vários programas sociais, o lançamento do Renda Brasil”, indicou.

Segundo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o governo vai pagar agora mais duas parcelas no valor de R$ 300 cada.

Mais lidas
Últimas notícias