Governo federal irá unificar programas sociais no pós-pandemia

Ministério da Economia irá estender por dois meses o auxílio emergencial de R$ 600 e reformulará benefícios de transferência de renda

atualizado 09/06/2020 10:18

Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Durante a primeira reunião ministerial desde a divulgação do encontro do dia 22 de abril, que virou alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro da Economia, Paulo Guedes, adiantou que o governo vai reformular programas sociais após a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Chamado inicialmente de Renda Brasil, novo programa reunirá benefícios, como o auxílio emergencial de R$ 600. “Por dois meses, vamos estender o auxílio emergencial. Estávamos num nível de emergência total, a R$ 600, vamos começar agora uma aterrissagem, com uma unificação de vários programas sociais e o lançamento do Renda Brasil”, destacou o ministro durante o encontro.

Guedes afirmou que vai aproveitar o cadastro do auxílio emergencial, voltado principalmente para trabalhadores informais, para lançar um programa de geração de empregos formais. O ministro se refere à Carteira Verde e Amarela — modalidade de contratação com menos encargos trabalhistas.

“Durante essa crise aprendemos que havia 38 milhões de brasileiros invisíveis que também merecem ser incluídos no mercado de trabalho. Vamos lançar um programa Verde e Amarelo. Há 40 milhões de brasileiros andando pelas ruas sem carteira assinada. Só que agora nós sabemos quem eles são”, destacou.

Mais lidas
Últimas notícias