Mesmo na oposição, PDT e PSB não farão boicote à posse de Bolsonaro

Carlos Siqueira, presidente do PSB, disse que deputados e senadores estão liberados. Lupi, do PDT, nem discutiu o assunto

atualizado 28/12/2018 16:22

Michael Melo/Metrópoles

O presidente do PSB, Carlos Siqueira, informou que o partido não terá uma resolução formal para  “boicotar” a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), a exemplo do que fez o PT e o Psol. Segundo ele, tampouco foram enviados convites para a presidência da legenda comparecer ao evento. Mas, mesmo que os tivesse recebido, ele garantiu que não compareceria à cerimônia marcada para o próximo dia 1º de janeiro.

“Não houve convite e aqui não vai nenhuma reclamação quanto a isso. É claro que eu não vou e não tenho notícia de quem do nosso partido irá”, disse ao Metrópoles.

“Não vamos tirar nenhuma resolução de boicote à posse, como fez o PT. Também não quero limitar quem queira ir. Ele é o presidente eleito, a posse é só uma formalidade. Ir ou não ir não caracterizará nossa oposição”, explicou.

PDT
Da mesma forma, o presidente do PDT, Carlos Lupi, também informou que não foi convidado para a posse e que, mesmo se tivesse recebido, não iria. Ele alegou “total falta de afinidade com as propostas do próximo governo”.

Lupi disse também que não houve discussão na legenda sobre o assunto e que, desta forma, não haverá impedimento aos parlamentares que queiram participar. “Isso nem foi discutido. Só sei que eu não vou”.

O líder do partido na Câmara, André Figueiredo informou que todos os deputados do PDT receberam convites e que quem quiser, poderá comparecer. O líder preferiu participar da posse do governador reeleito no Ceará, Camilo Santana (PT), que ocorre também na tarde de terça-feira (1º/1). “Eu não irei também por conta da posse do governador Camilo, no mesmo horário”, ressaltou o líder.

Últimas notícias