Fake news: inquérito indica “caixinha” de R$ 2 milhões mensais para blogs

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços ligados a empresários bolsonaristas

atualizado 28/05/2020 11:51

A operação que investiga o esquema de produção de fake news envolvendo empresários, parlamentares e blogueiros apoiadores de Jair Bolsonaro (sem partido) aponta para suposta caixinha de R$ 2 milhões mensais que seriam distribuídos entre sites e blogs que espalham notícias falsas. As informações são do colunista Ancelmo Gois.

Nessa quarta-feira (27/05), a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão no âmbito do Inquérito das Fake News, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Entre os endereços buscados estavam o do empresário bolsonarista Luciano Hang, dono das lojas Havan, e Edgard Gomes Corona, da rede SmartFit.

Até agora, o inquérito já atingiu ao menos 17 pessoas, entre parlamentares e aliados de Bolsonaro.

O relator do caso é o ministro Alexandre de Moraes. O inquérito foi aberto no próprio STF, no dia 14 de março do ano passado, em portaria assinada pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli.

Mais lidas
Últimas notícias