“Fui peitar o presidente”, diz ativista expulsa por Bolsonaro do Alvorada

Integrante do Movimento Brasil Livre (MBL), Cris Bernart foi ao palácio questionar o presidente sobre o número de mortos por Covid-19

atualizado 10/06/2020 13:49

Cris Bernart confrontou Bolsonaro por mortesReprodução/Redes sociais

A atriz e ativista do Movimento Brasil Livre (MBL) Cris Bernart, que confrontou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o número de mortes pela Covid-19 no Brasil, na manhã desta quarta-feira (10/06), disse que foi ao Palácio da Alvorada como cidadã e por se sentir traída pelo chefe do Executivo. Ao questioná-lo sobre a situação da pandemia no país, ouviu dele que “só falava abobrinha” e recebeu um “sai daqui”.

Ao Metrópoles, Cris disse que se sente revoltada e decepcionada com o que o governo tem feito até o momento como reação à pandemia de coronavírus e foi ao Alvorada, como ex-apoiadora do presidente, cobrar. “Fui com a cara e a coragem peitar o presidente, até para que outras pessoas que se sintam traídas tenham a coragem de ir lá dizer”, contou.

Funcionária do gabinete do vereador por São Paulo, Fernando Holiday (DEM), ela informou que pediu licença não remunerada para vir a Brasília ficar frente a frente com o presidente.


A atriz lembrou que apoiou Bolsonaro nas últimas eleições, fez campanha para ele, mas tem se sentido traída na forma como o presidente conduz o país. “Achei por bem cobrá-lo. Foi uma coisa inusitada, ali só ficam os apoiadores”, disse.

Ela contou que ficou supresa com a resposta do mandatário brasileiro. “Achei que ele só ia me ignorar, mas veio com uma patadinha. Mas já esperava uma reação dessa forma porque é isso que ele tem feito com todo mundo que fala o que ele não quer ouvir”.

Após essa reação do presidente, Cris afirmou que vai continuar a cobrar o governo e apoiar ainda mais ações do MBL.

38 mil

“Nós temos hoje 38 mil famílias com mortos por causa da Covid-19. Não são 38 mil de estatística, são 38 mil pessoas que morreram, 38 mil famílias que estão chorando”, alertou. “Eu fiz campanha para o senhor, acho até que me conhece. Eu sinto que o senhor traiu nossa população”, disse a mulher.

Irritado com a fala, Bolsonaro mandou a apoiadora cobrar dos governadores a responsabilidade pelas mortes. “Se você quiser falar, sai daqui, já foi ouvida. Cobre do seu governador. Sai daqui”, respondeu Bolsonaro, enquanto a mulher era insultada por apoiadores.

0

Após confrontar Bolsonaro, Cris afirma que foi agredida verbalmente por apoiadores do presidente e pediu aos seguranças para deixar o local.

Últimas notícias