Integrantes do 300 do Brasil se reúnem em frente à Polícia Federal

Cerca de 14 pessoas seguraram uma faixa com a hashtag #Saralivre e soltaram fogos de artifício

atualizado 15/06/2020 14:14

300 do BrasilHugo Barreto/ Metrópoles

Integrantes do movimento 300 do Brasil, que tem a ativista Sara Winter como líder, se reuniram em frente à superintendência da Polícia Federal (PF), nesta segunda-feira (15/06), em apoio a bolsonarista retida do local, desde início da manhã.

Cerca de 14 pessoas seguraram uma faixa com a hashtag #Saralivre e soltaram fogos de artifício. Vestindo camisas verdes com o nome do movimento estampado, eles acusaram estar vivendo uma “ditadura do STF” e que, a partir de agora, o “tom” dos ativistas será mais alto.

“Nós estamos vendo a Sara Winter que foi presa arbitrariamente, foi a terceira presa política do país. A Sara não está sozinha, está com o povo brasileiro. Estamos vivendo uma ditadura do STF, mas não vão nos calar”, falou um bolsonarista, em um microfone.

Outro ativista também se manifestou e disse que há um “golpe de estado em andamento” no país. “Os 11 ministros têm agido como uma ditadura da toga”, continuou.

Os bolsonaristas acusaram o Supremo Tribunal Federal (STF) de perseguir o ministro da Educação Abraham Weintraub e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Um teatro está acontecendo em Brasília”, comentou.

Após a proibição de manifestações pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), os manifestantes acusaram o chefe do executivo local de aparelhamento político contra o mandatário do país. “O desgraçado do Ibaneis está aparelhado contra o presidente”, gritou, um dos ativistas.

Após as falas, eles soltaram o feito de guerra do movimento e desmobilizaram o protesto.

Últimas notícias