Ministro do STJ vê ilegalidades na compra de respiradores por Barbalho

Além do governador do Pará, são alvos da Polícia Federal o secretário de Saúde, Alberto Beltrame, e empresários

atualizado 10/06/2020 12:49

O ministro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) Francisco Falcão afirmou que há indícios de que o governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), tenha direcionado ilegalmente a compra de respiradores para a rede hospitalar do estado. As informações são do G1.

Falcão autorizou a operação Bellum, da Polícia Federal, que mira irregularidades na compra dos equipamentos em meio à pandemia do coronavírus. Além de Barbalho, são alvos da PF o secretário de Saúde, Alberto Beltrame, e empresários.

Na visão do ministro do STJ, há provas que apontam fraude de licitação e prevaricação (contra a administração pública) cometidas pelo chefe do Executivo estadual. Falcão informou também que não se pode afastar possível ato de corrupção.

O magistrado afirmou que as investigações mostram o pagamento antecipado de R$ 25,2 milhões por equipamentos “imprestáveis para uso”.

Bloqueio de bens

Falcão decretou o bloqueio de bens do governador do Pará, Beltrame e empresários. Ao justificar o bloqueio, o ministro disse que em possíveis casos de corrupção é preciso ressarcir o poder público da verba desviada.

Versões diferentes

Nesta quarta-feira (10/06), Helder Barbalho utilizou uma rede social para afirmar que está tranquilo e à disposição para qualquer esclarecimento. “Agi a tempo para evitar dados ao erário público, já que os recursos foram devolvidos aos cofres do estado”.

Ele ainda disse que não sabia que os respiradores não funcionariam.

Mais lidas
Últimas notícias