Casa onde João Pedro foi morto não foi alvo de ordem judicial, diz jornal

Casa invadida por policiais civis não estava no planejamento da operação. Os agentes são investigados pelo homicídio do menino

atualizado 08/06/2020 11:23

A Polícia Federal (PF) apreendeu duas contas de gás, um celular e um carro durante a operação que resultou na morte do menino João Pedro, de 14 anos, no último dia 18 no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ).

De acordo com informações obtidas pelo jornal Extra, a polícia não encontrou armas nem drogas na região, assim como não realizou qualquer mandado de prisão. Aliás, nada foi apreendido na casa de João Pedro.

Os agentes federais, inclusive, não teriam entrado na casa do menino. O local foi invadido por três policiais civis que participavam da operação junto à Polícia Federal. A ação não estava prevista, segundo a reportagem.

Em 19 de maio, dia seguinte à operação que terminou em tragédia, contudo, policiais encontraram duas pistolas em uma casa abandonada perto de um matagal. Uma das armas estaria enferrujada.

João Pedro foi morto após ser alvejado nas costas com tiros disparados por alguma arma de fogo. Os policiais que entraram na residência chegaram a usar granada durante a abordagem, informaram testemunhas. Eles são investigados pelo homicídio do menino.

0

Últimas notícias