Mulher é presa por agredir e abandonar filhos de 4 e 8 anos

Ao delegado, as crianças contaram que sofriam maus tratos diariamente e que foram expulsas de casa enquanto o pai trabalhava

atualizado 04/11/2019 17:56

Reprodução/Rede Amazônica

No município de Oiapoque, no norte do Amapá, uma manicure de 46 anos foi presa, nesse sábado (02/11/2019), acusada de abandono de incapaz e tentativa de lesão corporal. As vítimas seriam dois filhos dela, de 4 e 8 anos. Em audiência nesse domingo (03/11/2019), a Justiça decidiu que ela deve responder ao caso em liberdade. As informações são do G1.

De acordo com a Polícia Civil, as crianças foram encontradas por uma mulher na orla do município, que fica a 590 quilômetros da capital Macapá. Elas estavam com uma sacola com roupas e disseram que foram expulsos de casa pela mãe, no mesmo dia, e que estavam com fome.

Após serem alimentadas, relata a polícia, as crianças foram levadas para o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do município. Ao delegado, elas contaram que sofriam maus tratos diariamente pelos pais e que foram expulsos de casa enquanto o pai trabalhava.

Segundo o delegado Átila Rodrigues, que acompanha o caso, as crianças contaram que, além de expulsá-los, a mãe também tentou surrá-las com um cipó, mas a dupla saiu correndo e não foi atingida.

Lesão corporal
O pai das crianças, de 60 anos, já foi preso em 2017 pelo crime de lesão corporal contra o filho mais velho, que atualmente é maior de idade e não mora mais com os pais.

Diante do caso, as crianças foram entregues ao Conselho Tutelar.

A mãe negou as acusações, mas a polícia decidiu pela prisão em flagrante. No domingo, a audiência de custódia concluiu pela liberdade provisória.

“No caso em apreço, apesar da gravidade dos fatos, não vislumbro a presença dos requisitos legais para a decretação da prisão preventiva”, citou a juíza Luciana Barros de Camargo.

Para manutenção da liberdade, a mãe deverá se recolher em casa às 19h, todo dia. Ela foi proibida de frequentar bares, boates e similares e não pode se ausentar de Oiapoque por mais de 8 dias.

Mais lidas
Últimas notícias