Policial suspeito de atirar contra João Pedro omitiu fuzil em depoimento

Policial civil entregou a arma de fogo que usou na operação no Complexo do Salgueiro apenas uma semana depois do crime

atualizado 01/06/2020 11:52

Um dos policiais civis que atuou na operação que resultou na morte do menino João Pedro, de 14 anos, entregou a arma de fogo que usou na ação apenas uma semana depois do crime.

O armamento, um fuzil M16, tem o mesmo calibre (556) da bala que atingiu o garoto pelas costas. Essas informações foram reveladas com exclusividade pelo jornal Extra.

De acordo com a reportagem, o policial teria omitido, em um primeiro depoimento, ter usado o fuzil na operação. Uma semana após esse relato, teria mudado a versão e admitido que deu cerca de 16 tiros no local.

O policial teria alegado que só percebeu que “esqueceu” da falar sobre o fuzil após o depoimento, quando voltou para a base e contou os cartuchos que sobraram.

João Pedro foi morto no último dia 18 de maio durante operação das polícias Civil e Federal no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (RJ). Ele estava jogando sinuca, segundo testemunha, quando os policiais chegaram atirando.

0

Últimas notícias