Apoiadores de Bolsonaro fazem peregrinação no Torto à espera de aceno

De Uber, moto e carro, eles não deixaram de registrar a visita, mesmo sem qualquer contato com o presidente eleito

atualizado 31/12/2018 17:13

Ian Ferraz/Metrópoles

Às vésperas da posse presidencial em 1º de janeiro, a residência oficial da Granja do Torto virou um ponto de peregrinação de apoiadores do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Moradores da capital e turistas de todas as regiões do país compareceram à portaria do local na tentativa de uma foto ou simples aceno do capitão da reserva do Exército.

Durante todo o dia e tarde, a reportagem acompanhou a movimentação dos eleitores. De Uber, moto e carro, eles não deixaram de registrar a visita, mesmo sem qualquer contato com o presidente eleito. As visitas se intensificaram com a proximidade de 2019, e esse dia 31 foi de grande movimentação.

O militar Wilmar de Souza, 58 anos, veio com a esposa Marta do Rio de Janeiro. O casal ficará em Brasília até a quarta-feira (2/1). “Espero que ele faça um bom governo, o que a maioria dos brasileiros aguarda. Queremos que ele melhore a saúde e a educação e tenha mais transparência no governo”, pedem.

O também militar José Antônio Cardoso, 56 anos, atravessou o país de Uruguaiana (RS) até o Distrito Federal. No caminho, foi até Mato Grosso do Sul rever uma filha antes de se deslocar a Brasília. Ele se mostra esperançoso com o voto que confiou nas urnas em outubro.

“Teremos muita segurança daqui para frente. É tudo que o povo precisa. Nunca me envolvi com política, mas, esse ano, pude me envolver com isso. (…) Trabalhei de graça. Eu fui caixa 2 (risos)”, brinca.

 

Professora de Garanhuns (PE), Wilma Silvestre, 35 anos, enfrentou dois dias de viagem dentro de um ônibus para acompanhar a cerimônia da posse. “A luta foi muito grande. É como se eu estivesse vindo hoje para confirmar o voto”, disse

Caminho que foi mais fácil para Emerson Fonseca. O militar de 44 anos mora na região da Granja do Torto, e se deslocou para a portaria da residência oficial prestar apoio a Bolsonaro. “Nem espero muita coisa. O significado da vitória já é a esperança”, resume o morador de Brasília, que trouxe um violão e tocou o Hino Nacional durante a visita.

O empresário mineiro André Rhouglas, 58 anos, viajou de Otários (MG) para o DF. Seu olhar para o novo governo será de vigilância. “O povo brasileiro está começando a se politizar. O principal é saber cobrar. Acho que o Brasil está na rota certa”, afirmou.

A pluralidade de visitantes se confirmou nas placas de carros e rodas de conversa: Mauá (SP), Poções (BA), Belo Horizonte (MG), Colatina (ES), São Leopoldo (RS), Paramoti (CE), Goioerê (PR), Boa Vista (RR) e Corumbá (MS), entre outros.

Mais lidas
Últimas notícias