Ciro: “General Heleno costeia o alambrado do golpismo fascista”

Pedetista ressaltou que "há militares e militares e precisamos distinguir isso com muita clareza" e que o chefe do GSI é "grande decepção"

atualizado 16/03/2020 23:17

Com gripe, Ciro Gomes participa do programa Roda Viva de forma remotaReprodução/Youtube

O ex-ministro e ex-candidato pelo PDT à Presidência da República Ciro Gomes atacou de forma dura o ministro-chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Augusto Heleno, na noite desta segunda-feira (16/03). Segundo o pedetista, ele “está costeando claramente o alambrado do golpismo fascista”.

Ao comentar sobre a presença de militares do alto escalão do governo Jair Bolsonaro (sem partido), Ciro ressaltou que “há militares e militares e precisamos distinguir isso com muita clareza”. Para ele, Heleno é uma “grande decepção”.

O chefe do GSI, segundo o ex-ministro, ao ventilar a possibilidade de um novo AI-5 – “Dá razão ao Eduardo Bolsonaro, o picareta número 3” – e mandar um “foda-se” a instituições como o Congresso e o Judiciário, preocupa a parte séria das Forças Armadas.

Ciro Gomes raciocina que Bolsonaro, que lidera “esse bando de alucinados” (seus aliados) e “sentindo faltar o chão nos pés”, procura se cercar de uma estrutura que merece respeito – os militares.

Preocupados

“A alienação de Bolsonaro aos EUA preocupa  a maioria dos militares, que, quero acreditar, é séria”, observou Ciro. “Os mais sérios e responsáveis estão preocupados com o desgaste do respeito que as Forças Armadas merecem da população”.

As declarações fora feitas no programa Roda Viva, da TV Cultura, pela primeira vez realizado de forma remota e sem plateia. Com sintomas de gripe e obedecendo a orientações médicas para não disseminar um possível coronavírus, Ciro deu a entrevista de um hotel em São Paulo.

Últimas notícias