Grupos pró e contra Bolsonaro batem boca na Esplanada. Veja fotos e vídeos

Membros do grupo autodenominado "300 do Brasil" confrontaram participantes de atos contra o governo

atualizado 13/06/2020 13:36

Hugo Barreto/Metrópoles

A manhã deste sábado (13/06), em Brasília (DF), registrou a ocorrência de uma manifestação contrária ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Esplanada dos Ministérios. Organizado pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, o protesto contou com uma carreata e manifestações em frente ao Museu Nacional. Em determinado momento, houve discussão entre os manifestantes e pessoas ligadas ao grupo chamado “300 do Brasil“, que apoia o governo. Veja o vídeo abaixo.

A Polícia Militar (PM) teve que intervir e pedir que eles respeitassem o protesto. Em um vídeo postado pelos organizadores no Twitter (veja abaixo), um policial diz: “Como eles não poderiam fazer nada com os senhores, estou aqui falando com os senhores que os senhores não podem frustrar a manifestação deles”.

A carreata, que teve início por volta das 11h, percorreu a Esplanada com faixas e inscrições como “Fora, Bolsonaro”, mensagens em defesa da democracia e contra o racismo. As duas frentes definiram o dia 13 de junho como “Dia Nacional da Luta contra Bolsonaro”.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, participou do ato. “Esse homem não tem condições de administrar o Brasil, nem políticas, nem humanas. Alguém que não consegue se colocar no lugar do outro e acha que as mortes são um fato natural não pode ser presidente. O ‘e daí?’ mostra a qualidade do Bolsonaro”, criticou ela.

Além da carreata, que foi organizada pelo PT, o Partido da Causa Operária (PCO) também levou a sua militância para a Esplanada. Militante da Juventude do PCO e presente no evento, Uriel Schramn focou as suas críticas no ato rival ao dele, feito pelos petistas.

Na sua avaliação, esse tipo de movimentação “exclui” grande parte da população que não tem carro da possibilidade de se manifestar. “Bolsonaro não vai cair sem manifestação popular”, enfatizou.

Renan Rosa, também militante do PCO, argumenta que os protestos nas ruas, mesmo em tempos de pandemia pelo novo coronavírus, são a única forma de se contrapor ao governo que ele diz combater.

“Acreditar que o Congresso, TSE (Tribunal Superior Eleitoral) vão ser capazes de promover alguma ação que não seja decorrente de grande manifestação popular, nem pensar. Objetivo é criar um movimento de massa”, disse.

0

 

Últimas notícias