Sara Winter após ser presa pela PF: “Apoiar Jair Bolsonaro é crime”

A ativista bolsonarista foi detida pela PF, por ordem do ministro Alexandre de Moraes. Ela é investigada no inquérito de fake news

atualizado 15/06/2020 12:28

A ativista bolsonarista Sara Winter, presa na manhã desta segunda-feira (15/06), por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nas redes sociais que “apoiar o presidente da República, Jair Bolsonaro, é crime”. Ela está detida na superintendência da Polícia Federal, em Brasília.

Segundo publicações no perfil oficial no Twitter, “Sara foi presa por lutar pelo Brasil”. A publicação ainda diz: “Você pode ser o próximo”.

Operação Fake News

A ex-feminista está entre os alvos da Operação Fake News, que apura a disseminação de notícias falsas contra ministros da Corte.

A prisão foi autorizada pelo magistrado após pedido da Procuradoria-geral da República (PGR). A medida foi tomada após a ativista, líder do acampamento 300 do Brasil, ameaçar Moraes quando ele permitiu um mandado de busca e apreensão em sua casa.

Segundo a defesa da ex-feminista, a prisão foi efetuada por volta das 7h. Eles afirmaram que ela agiu no “calor da emoção” e, por isso, acabou extrapolando pelas redes sociais. Agora, Sara está na superintendência da PF, aguardando os advogados.

0

Últimas notícias