Professor é suspeito de pagar alunos adolescentes para encontros sexuais

O docente oferecia dinheiro para os adolescentes, que depois eram estuprados supostamente por pessoas conhecidas na cidade

atualizado 08/06/2020 13:31

Em Campo Grande, um professor é suspeito de aliciar alunos e ex-alunos, alguns supostamente menores de 14 anos, para sexo com “clientes influentes”.

A denúncia foi feita na última quinta-feira (04/06) e polícia investigará a rede que “agenciava estupros” em troca de dinheiro. Até então, segundo reportagens da mídia local, o docente oferecia entre R$ 50 e R$ 100 por cada “programa sexual” mas, na verdade, seria um encontro no qual os jovens eram estuprados por homens da cidade.

O jornal Midiamax informa que a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) atua no caso. “É uma investigação delicada, trabalhosa e que demanda tempo”, afirmou a delegada Marília de Brito, responsável pelo caso, ao jornal. No boletim de ocorrência consta o crime de aliciamento e a vítima que fez a denúncia teria apresentado provas.

Ao saber pelas redes sociais que teria sido denunciado, o professor procurou outra delegacia e alegou ter sofrido calúnia.

O esquema

As vítimas relatam que o professor combinava com os adolescente e os “clientes” para se encontrarem em um local. Então, os celulares dos jovens eram recolhidos, para não haver contato com pessoas de fora e para evitar que o crime fosse gravado. Depois, o dinheiro era entregue às vítimas, que recebiam a orientação para não conversarem com os homens caso os encontrassem na rua.

Os chamados “clientes influentes”, segundo a reportagem, seriam pessoas conhecidas, com posições de destaque e atuação no setor privado e público da capital do Mato Grosso do Sul. A polícia irá levantar as identidades dos supostos estupradores e eles também podem responder criminalmente.

Últimas notícias