Rolou na 2ª: o problema Abraham Weintraub; bolsonarista Sara Winter é presa

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) atualiza: Brasil tem 43.959 mortes em decorrência do coronavírus e 888.271 casos

atualizado 15/06/2020 19:45

Rolou nesta segunda-feira (15/06): “Nós estamos tentando solucionar o senhor Abraham Weintraub aí”. Foi com essa declaração que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ponderou, em entrevista à Band News, quando questionado sobre a situação delicada do ministro da Educação, Abraham Weintraub, na Esplanada.

Bolsonaro reuniu-se com Weintraub para ver como o ministro pode deixar o governo de maneira menos traumática. Opositores e aliados do titular da Educação, incluindo os filhos do presidente, apresentaram seus argumentos contra e a favor da permanência dele à frente da pasta, mas nenhuma decisão foi tomada.

O presidente disse que a participação do ministro em uma manifestação de apoiadores a favor do governo não foi “muito prudente” e que o governo está tentando “solucionar” o problema.

“Não foi um bom recado. Por quê? Porque ele não estava representando o governo, ele tava representando a si próprio. Então, como tudo que acontece cai no meu colo, mais um problema, nós estamos tentando solucionar o senhor Abraham Weintraub aí”.

E a ativista de extrema-direita – e bolsonarista – Sara Winter foi presa temporariamente. Investigada por ameaças contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), ela está na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Brasília.

O mandado foi expedido pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segundo a defesa da ex-feminista, a prisão ocorreu por volta das 7h. Sara é alvo do inquérito das fake news que corre na Corte após ameaçar o relator da ação, ministro Alexandre de Moraes.

Também foi notícia nesta segunda:

Últimas notícias