“Segurei a mão até corpo enfraquecer”, diz funcionário que socorreu Miguel

Quando sofreu a queda, a criança estava aos cuidados de Sari Corte Real, primeira-dama de Tamandaré

atualizado 12/06/2020 16:35

CriançaMirtes Renata Santana de Souza

Tomaz Silva é o gerente de operações do edifício Pier Maurício de Nassau, de Recife (PE), onde Miguel Otávio, de 5 anos, caiu do 9º andar no dia 2 de junho e morreu. Ele contou, em depoimento à polícia, que foi a terceira pessoa a ver o corpo no chão e que segurou a mão do menino.

“Eu fiquei segurando a mão dele, dizendo que a gente ainda ia jogar muito futebol. Com mais ou menos um minuto, dois, ele começou a enfraquecer”, relembrou ao site G1.

O gerente de operações contou que tentou fazer massagem cardíaca no menino. Miguel era filho da empregada doméstica Mirtes Renata Souza e estava sob os cuidados da patroa, Sari Corte Real, enquanto Mirtes passeava com o cachorro.

Tomaz afirmou que Miguel ia ao edifício com certa frequência. “De vez em quando ele ia ali no apartamento, segundo zeladores e porteiros que trabalhavam lá. Eles disseram que ele ia lá quase sempre com a mãe”, disse.

Entenda

Quando sofreu a queda, Miguel estava aos cuidados de Sari Corte Real, primeira-dama de Tamandaré, e caiu de uma altura de 35 metros. Imagens da câmera de segurança mostram o momento em que o menino entrou sozinho e foi seguido por Sari.

A ex-patroa aperta um botão e, em seguida, o elevador se fecha. Miguel havia apertado outros botões também. O elevador para em um dos andares, mas a criança não desce.

Ele foi encaminhado ao Hospital da Restauração, no centro de Recife, mas não resistiu.

Últimas notícias