Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Com dor nas costas no home office? Ginástica laboral pode te ajudar

Segundo a professora Sylmara Salviano, a região recebe carga de estresse maior por conta da má postura

atualizado 26/05/2020 11:45

Mulher com dor nas costasAdene Sanchez/Getty Images

Durante a quarentena imposta devido à pandemia do novo coronavírus, o trabalho ganhou novo formato: o home office. Algumas pessoas nunca vivenciaram a experiência de realizar as atividades profissionais em casa de modo obrigatório, outras se dividiam entre o próprio lar e o escritório externo.

Diante desse cenário, há quem tenha amado esse formato de exercer o ofício, enquanto outras pessoas criticaram o modelo remoto e estão ansiosas para voltar à antiga rotina. Independentemente das opiniões, ambos têm de ficar atentos aos avisos do corpo dados ao longo do expediente.

Dores nas pernas, pescoço e braços podem ter surgido com maior frequência. A culpa é dos mobiliários de casa, inadequados em termos ergonômicos. Mas, a região mais afetada com o home office é a coluna.

De acordo com a professora de pilates e alongamento Sylmara Salviano, a área recebe uma carga de estresse maior por conta da má postura e da fadiga em grupos musculares sobrecarregados.

Sylmara Salviano
Sylmara Salviano

Caso faça parte do grupo das pessoas que passaram a sentir as dores descritas com regularidade, Sylmara aconselha tirar um tempinho para fazer exercícios de ginástica laboral. A técnica visa manter a saúde física, mental e social dos trabalhadores, prevenindo doenças decorrentes do cumprir do ofício.

Alterações posturais, lesões por esforços repetitivos (LER), distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort) e afecções musculoesqueléticas relacionadas ao trabalho (Amert) são as principais enfermidades diagnosticadas. Segundo Sylmara, a ginástica laboral consegue reduzir os preocupantes quadros por atuar diretamente nos tecidos ósseos, músculos, ligamentos e tendões, dessa forma, agindo nas tensões articulares.

Além da correção da postura, a modalidade contribui na diminuição da tensão emocional e, consequentemente, na melhoria das relações interpessoais. “Níveis de ansiedade e depressão apresentam uma baixa, enquanto a autoestima e a capacidade de relacionamento pessoal aumentam. O resultado é uma melhora na qualidade de vida”, explica a professora.

Mulher no computador
A técnica visa manter a saúde física, mental e social dos trabalhadores

Mas, não é somente o trabalhador que sairá “no lucro”. Durante o expediente, o bem-estar reflete na produtividade. Como a modalidade física trabalha o fortalecimento muscular e ampliação da função cardiorrespiratória, há o aumento da disposição e dos níveis de energia.

Hora da prática

A ginástica laboral deve ser realizada no início, meio e fim do dia de trabalho, segundo Sylmara. A técnica dura entre 10 a 20 minutos. No começo do expediente, a modalidade terá a função de preparar as regiões do corpo a serem utilizadas (preparatória). Praticar durante o expediente ajuda a reduzir as tensões dos grupos musculares e reequilibrar a postura (compensatório). Ao término, a atividade surge como uma forma de relaxamento.

Há também a categoria corretiva. Esse tipo de ginástica é indicado quando o desconforto e dores continuam após às jornadas de trabalho. Exercícios de reeducação postural global (RPG), pilates e ioga orientados por profissionais especializados. O instrutor é fundamental para auxiliar nos movimentos.

Sylmara elaborou um vídeo com sugestões de exercícios para as pessoas que permanecem longos períodos em pé ou muito tempo sentadas perante o computador. Os movimentos de alongamento, concentração, respiração, equilíbrio e postura podem ser feitos no local reservado ao home office ou até mesmo na própria cadeira. “O objetivo é aliviar o corpo de todo o estresse”, reforça a instrutora de pilates. Assista!

Coluna

Sylmara dá dicas a quem tem sentido dores na coluna frequentemente. Ela recomenda realizar as atividades rotineiras sentado com a postura adequada, contudo, depende da cadeira apropriada. A mesa, teclado e altura do monitor do computador devem estar de acordo sua anatomia.

Outro conselho da professora é sentar sobre os ísquios (ossos localizados na parte inferior do quadril) e não nos cóccix, situado ao final da lombar. “Observe se não está colocando o peso na ponta dos pés. Na verdade, tem de apoiá-los por completo no chão. Lembre-se de praticar movimentos de flexão e extensão dos tornozelos”, indica a instrutora de alongamento.

Mulher no computador
Levantar a cada 1h é um dos conselhos da professora de alongamento e pilates Sylmara Salviano

Aos teimosos que permanecem sentados por horas na frente do computador, ela pontua levantar a cada uma hora. Nesse momento, vale fazer o exercício para diminuir a tensão na coluna. Primeiramente, fique em pé com as pernas estendidas e cruze uma perna à frente da outra. Em seguida, incline o corpo como se fosse dar um mergulho, soltando o ar para tentar tocar as mãos no solo. A intenção é manter a posição por 30 segundos e repetir com o movimento com a perna contrária.

Dados

No Brasil, o home office foi adotado por 77% das pequenas e médias empresas devido à regra de distanciamento social. O índice é o maior em relação a países como Reino Unido, França e Alemanha, segundo o estudo feito pela Capterra, ferramenta de comparação de softwares empresariais que pertence ao instituto de pesquisa Gartner.

 

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias