As curiosidades, tendências e novidades do mundo pet

Bigodes e miados: veja 4 dicas para entender o comportamento dos gatos

Aprender a interpretar a linguagem corporal e os sons que o pet emite ajuda a melhorar o relacionamento do tutor com o animal de estimação

atualizado 15/06/2020 18:36

gatoFoto: Manja Vitolic/Unsplash

Os gatos são animais enigmáticos e geralmente expressam os sentimentos e desejos por meio de alguns comportamentos que nem sempre os tutores conseguem compreender, como passar entre as pernas do dono ou ronronar em determinados momentos. E entender a maneira que os felinos se comunicam é muito importante para que o tutor consiga se relacionar com o bichano, além de conseguir identificar as necessidades do pet.

Com isso, a médica veterinária Natália Lopes separou quatro dicas para auxiliar os tutores a entender o comportamento dos gatos. Veja:

1. Observe a posição da cabeça e as orelhas do seu gato

Natália aponta que orelhas eretas, voltadas para “fora” e olhos mais estreitos sugerem que ele está bravo. Por outro lado, se as orelhas estão voltadas para frente e os olhos semicerrados, é um sinal de felicidade. “Geralmente, os gatos entendem apenas algumas palavras-chave, entretanto, eles são muito sensíveis a atitudes e tons de voz e são capazes de sentir emoções, chegando a conseguir antecipar o que o tutor fará em seguida, por isso, o dono deve prestar atenção”, afirma.

2. Os bigodes dos felinos também são expressivos e sensitivos

De acordo com Natália, os bigodes do gato, também conhecidos como vibrissas, são muito importantes, pois são os responsáveis por gerar equilíbrio no animal pois ele é como um sensor para os felinos. “Eles os utilizam para se expressar e explorar os ambientes. Por meio do bigode, o tutor consegue entender melhor o que o gato está sentindo. Portanto, nunca corte os bigodes do animal”, alerta.

3. A linguagem corporal pode ser reveladora

“Se o gato esfrega a cabeça ou a cauda nas pernas do tutor, significa um sinal de afeição. Quando ele rola no chão na presença do tutor, sugere submissão e como eles estão se sentindo à vontade ali. Já quando o gato chicoteia o rabo, é uma indicação de agitação ou inquietação. Ao contrário dos cães, não é um sinal de felicidade”.

4. Os sons que eles emitem também são maneiras de comunicação

Natália aponta que ao ronronar para o tutor, o gato demonstra que está feliz e satisfeito. Porém, é importante notar caso ele ronrone sozinho, pois pode ser uma tentativa de aliviar estresse.

“Já quando o felino rosnar ou sibilar, ele quer intimidar alguém e está se sentindo ameaçado. O som mais comum é o miado, que pode significar uma variedade de sinais, como um pedido, uma reclamação e outras coisas. O tutor deve analisar o tipo de miado junto com a situação presente e se o gato não mia com frequência e de repente começa a miar, é sinal de que ele precisa de alguma coisa”, finaliza.

Últimas notícias