Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

TCDF pede esclarecimentos ao SLU sobre transbordamento de chorume

Órgão responsável pelo Aterro Sanitário de Brasília (ASB), localizado em Samambaia, tem prazo de cinco dias para se manifestar

atualizado 27/02/2020 9:53

Michael Melo / Metrópoles

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) acolheu a representação dos deputados distritais Rodrigo Delmasso (Republicanos) e Leandro Grass (Rede) para a apuração dos riscos de desastre ambiental em decorrência do excesso de chorume armazenado no Aterro Sanitário de Brasília (ASB), localizado em Samambaia.

A Corte deu prazo de cinco dias para o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) prestar esclarecimentos sobre a situação. Além disso, dada a gravidade dos fatos, o TCDF autorizou a realização de inspeção para “complementar a documentação que vier a ser encaminhada pela jurisdicionada”.

Confira a decisão:

Decisão TCDF – Chorume by Metropoles on Scribd

Na representação, os parlamentares citam matéria do Metrópoles, que revelou com exclusividade documento interno do SLU indicando a situação de “colapso” causada pelo excesso de chuvas no período de janeiro. O fato levou as bacias de contenção do resíduo poluente a chegarem na capacidade máxima.

O SLU anunciou, no dia 31 de janeiro, plano para reverter o estado de emergência no aterro devido ao transbordamento de chorume. Entre as medidas adotadas, está a construção dos novos reservatórios.

O contrato emergencial que garante o tratamento do chorume foi renovado em 9 de fevereiro. O serviço foi contratado por R$ 9.637.378, com dispensa de licitação e validade de 180 dias.

Últimas notícias
Mais lidas