Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Capitão Augusto sobre Alberto Fraga na pasta de Segurança: “Tem calibre”

Um dos líderes da bancada da bala no Congresso Nacional defende nome do ex-congressista do DF, caso ministério seja desmembrado

atualizado 05/06/2020 12:45

Agência Câmara dos Deputados

Um dos principais nomes da Frente Parlamentar da Segurança Pública na Câmara dos Deputados, também conhecida como bancada da bala, o deputado federal Capitão Augusto (PSL-SP) afirmou ao Metrópoles, nesta sexta-feira (05/06), que o ex-deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF) “tem calibre e envergadura” para comandar o possível Ministério da Segurança Pública, pasta hoje subordinada ao Ministério da Justiça.

De acordo com o parlamentar, os integrantes do bloco parlamentar estão alinhados quanto à indicação do coronel da reserva da Polícia Militar do DF (PMDF) para comandar o órgão, que tem a criação ventilada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O grupo defendeu o nome para o titular do Palácio do Planalto.

“Não acho que o presidente [Bolsonaro] deva assinar a criação do ministério agora, durante a crise. Mas o Fraga é o nome ideal quando acontecer. Ele tinha reeleição garantida para deputado federal, até mesmo senador. Tem experiência no Executivo e, acima de tudo, tem visão, envergadura e calibre”, disse o parlamentar.

Capitão Augusto explicou que, com a pandemia, além da crise econômica, haverá também a crise na segurança pública em todo o país. “Com as pessoas em casa, os bandidos se aproveitam para agir. Temos visto esse cenário crescendo e a história recente nos confirma isso. E teremos que ter um ministério para agir assim que a crise recuar. Não sei quando, mas agora não dá para trocar o pneu com o carro em movimento”, disse.

A coluna tentou contato com o ex-deputado Alberto Fraga, mas ele está no município de Água Fria (GO), onde possui uma fazenda.

Na quinta-feira (04/06), Bolsonaro confirmou que tem intenção de recriar o Ministério da Segurança Pública. Embora seja dada como certa, a recriação do órgão ligado ao Palácio do Planalto ainda não tem data para ser efetivada. “Existe a possibilidade”, afirmou o presidente.

Assessores do chefe do Executivo afirmam que o político também comenta a intenção de querer turbinar a Secretaria Nacional de Segurança, mas tem sido desaconselhado porque o órgão ainda teria de ser subordinado a algum ministro, o que inviabiliza a autonomia da pasta.

0

Mais lidas
Últimas notícias