Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Pesquisa: menos da metade de alunos da rede pública do DF tem aulas remotas

Levantamento do Sinepe-DF revela que apenas 45,21% dos pais que responderam à enquete disseram conhecer o método do GDF

atualizado 20/05/2020 15:47

Aulas em casaImgorthand/Getty

Mais da metade dos estudantes matriculados na rede pública de ensino do Distrito Federal não está tendo acesso às aulas on-line, também conhecidas como ensino remoto, para manter o conteúdo programático do ano letivo.

É o que indica pesquisa realizada pelo Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF) e revelada nessa terça-feira (19/05) pelo Metrópoles.

Embora não possa representar a totalidade dos 180 mil alunos, o resultado da “amostragem não probabilística por conveniência” demonstra um termômetro da realidade da pandemia local. O número representa apenas o universo daqueles que aceitaram participar da enquete.

De acordo com o novo recorte, baseado exclusivamente nas respostas de quem tem tem filhos nas escolas públicas, do total de 3.486 pais ou responsáveis que responderam ao questionamento da entidade, apenas 45,21% disseram que seus filhos estão mantendo a rotina estabelecida pelas unidades da Secretaria de Educação para manter em dia o conteúdo programático do ano letivo.

O percentual é bem diferente da realidade dos responsáveis por alunos da rede privada. Quando a mesma pergunta é feita aos pais de estudantes das instituições particulares, por exemplo, esse número pula para 95,25% de estudantes que recebem acompanhamento com a atividade extraescolar em casa.

No caso das escolas particulares, os números mostram que 56,5% dos pais estão satisfeitos e 15,2% se encontram muito satisfeitos, totalizando 71% de reações positivas com a proposta estabelecida durante o período de isolamento social.

Cabe lembrar que o número de responsáveis por alunos da rede pública que participou da enquete representa apenas 10,6% do total de entrevistados.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Educação informou “não conhecer a metodologia utilizada na pesquisa divulgada pelo Sinepe e, portanto, não vai comentar seus resultados”.

Veja a pesquisa completa:

Relatório Da Pesquisa – Ret… by Metropoles on Scribd


Retorno gradual em julho

O mesmo levantamento mostra que a maioria dos pais (57%) prefere que as aulas sejam retomadas apenas no dia 15 de julho, a opção mais tardia dada pelo questionário. A data é um mês após a atual previsão dada pelo governador Ibaneis Rocha.

A grande parte (73,8%) também prefere que a retomada presencial das aulas seja de forma gradual, segura e opcional, garantido às famílias a decisão de levar ou não o aluno de volta às instituições.

“A pesquisa mostra que podemos fazer um retorno planejado, organizado e com todas as medidas de segurança esperadas pela comunidade escolar. Por meio dos dados coletados pela pesquisa, conseguimos, por exemplo, retomar a atividade presencial de forma optativa para as escolas e alunos, juntamente com a aprovação de um protocolo de segurança e profilaxia a ser amplamente divulgado dentro das instituições”, pondera Álvaro Domingues, presidente do Sinepe-DF.

Levantamento

O Sinepe-DF realizou a pesquisa no período de 11 a 18 de maio. Ao todo, 34 mil pessoas participaram.

Atualmente, a rede privada tem 180 mil estudantes matriculados. No caso da rede pública, esse número se aproxima dos 460 mil alunos, espalhados em 683 escolas da Secretaria de Educação.

Segundo Sinepe-DF, o foco foi obter os dados da rede de ensino particular, alcançando êxito com 89,7% de retorno (30.369 formulários preenchidos).

0

 

 

 

Mais lidas
Últimas notícias