Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Mito ou verdade? Saiba tudo sobre a polêmica síndrome da vagina morta

Sexóloga esclarece dúvidas a respeito desse fenômeno misterioso que supostamente acaba com o prazer feminino pelo uso contínuo do vibrador

atualizado 15/06/2020 11:24

Mulher com as duas mãos em frente ao órgão sexualReprodução/ FreePik

Em posts nas redes sociais e fóruns da internet, principalmente dos Estados Unidos e da Inglaterra, uma polêmica voltou com força total na quarentena: a da dead vagina syndrome (síndrome da vagina morta, em tradução literal).

Supostamente, esse fenômeno consiste na perda da sensibilidade do órgão sexual feminino, de forma definitiva, após o uso prolongado de vibradores.

Essa condição voltou à tona desde que especialistas começaram a constatar que pessoas de todo o globo têm se masturbado mais na quarentena, seguindo as recomendações da própria Organização Mundial da Saúde (OMS) – a entidade sugere que a masturbação é o tipo de sexo mais seguro para se praticar durante a pandemia.

No entanto, a síndrome da vagina morta não passa de uma crendice popular. “De fato, o uso do acessório vibratório por horas consecutivas pode deixar a vagina adormecida, mas essa dormência é passageira”, tranquiliza a sexóloga Luísa Miranda.

Para a especialista, esse é apenas mais um mito criado para repreender a sexualidade feminina.

“Mulheres que usam vibrador, divirtam-se! Se essa dormência persistir por mais de algumas horas, apenas troquem de vibrador ou procurem estimular outras zonas erógenas do corpo”, sugere a profissional.

0

Últimas notícias