Coronavírus chega à unidade de elite da PMDF que lida com multidões

Ao menos cinco militares do Batalhão de Policiamento de Choque estão contaminados. Eles dividiam alojamento e equipamentos com colegas

atualizado 17/05/2020 11:26

policiais na cozinhaImagem cedida ao Metrópoles

Treinados para controlar multidões enfurecidas durante manifestações violentas, policiais militares que integram o 2º Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque) foram atingidos pela pandemia provocada pelo novo coronavírus. Cinco homens do pelotão testaram positivo para a Covid-19, enquanto outros já apresentam os primeiros sintomas da doença. Antes de serem isolados, os contaminados revezaram camas no alojamento da unidade e permaneceram em ambientes fechados com outros companheiros.

Policiais ouvidos pelo Metrópoles afirmaram que as primeiras medidas de isolamento demoraram a ocorrer, o que pode ter provocado a contaminação de boa parte da tropa. Diversos equipamentos de uso comum podem ter sido infectados e depois compartilhados.

“Diariamente, temos cerca de 40 policiais trabalhando em regime de escala, e quase sempre aglomerados, seja no alojamento, outras dependências ou nas viaturas”, relata um dos militares, que preferiu não se identificar.

A preocupação dos policiais extrapola os muros do batalhão. Seria desastroso, segundo um dos entrevistados, caso equipes com PMs contaminados se deslocassem para atender a ocorrências envolvendo multidões.

“Mesmo de máscaras e com toda a precaução possível, não há como prever se poderia ocorrer algum tipo de transmissão da doença”, disse o militar.

Imagens obtidas pela reportagem gravadas na semana passada mostram homens do Choque em formação ouvindo orientações de oficiais. Nenhum deles usava máscara.

Veja:

Descontaminação

Depois dos cinco policiais que testaram positivo para Covid-19 terem o diagnóstico confirmado por exames sanguíneos, o comando do batalhão decidiu começar processo de desinfecção das dependências da unidade operacional.

De acordo com a corporação, o restante dos cerca de 200 policiais que integram os dois pelotões do Choque foram testados com exames rápidos e os resultados deram negativos para coronavírus.

Por meio de nota, o Centro de Comunicação Social (CCS) da PMDF afirmou que outros militares de equipes diferentes e que não tinham contato físico com os contaminados foram testados e também tiveram resultados negativos. A Polícia Militar confirmou, ainda, que novo processo de desinfecção irá ocorrer nas estruturas da unidade, na próxima terça-feira (19/05).

Nos últimos dias, segundo o comando do órgão de segurança, todas as áreas comuns das instalações do BPChoque passaram por medidas de descontaminação – o procedimento foi realizado pela mesma equipe da Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe) responsável pela desinfecção no sistema prisional.

0
Mais casos

Além dos policiais lotados no BPChoque que testaram positivo para Covid-19, outros militares que prestam serviços em unidades como o 15º BPM (Estrutural) também estão com a doença e foram afastados.

Na terça-feira (12/05), o Metrópoles já havia revelado que, no interior do Complexo Penitenciário da Papuda, o 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM) perdeu o posto de único lugar no sistema carcerário sem registros de contaminação pelo novo coronavírus.

Apesar de a corporação afirmar apenas um caso, integrantes do batalhão relataram que seriam, pelo menos, cinco PMs infectados. A unidade em questão abriga ex-policiais e ex-bombeiros condenados pela Justiça. Nas carceragens, também ficam presos militares que aguardam julgamento e advogados condenados ou que esperam veredito judicial.

De acordo com a PMDF, o número total de policiais infectados na corporação é de 21 homens. Já segundo o boletim mais recente da Secretaria de Saúde, existem 287 servidores vinculados às forças de segurança contaminados pelo novo coronavírus.

Mais lidas
Últimas notícias