Covid-19: em quatro dias, DF registra 45 mortes, o dobro da semana anterior

Ao todo, foram 3.559 casos registrados de coronavírus. Na semana anterior haviam sido 2.413

atualizado 12/06/2020 12:09

Cemitério-coronavírus-2Hugo Barreto/Metrópoles

Na semana em que ultrapassou os 20 mil casos registrados do novo coronavírus, o Distrito Federal também assistiu a um aumento no número de mortos. Foram 45 óbitos divulgados entre a última segunda-feira (08/06) e quinta-feira (11/06). No mesmo período da semana passada (1º a 6 de junho), 21 pessoas morreram de Covid-19; enquanto 26 perderam a vida entre 25 e 28 de maio.

Isso significa dizer que nos últimos quatro dias, a capital do país teve quase o mesmo número de óbitos dos dois períodos anteriores somados. Somente em relação ao intervalo de 1º a 6 de junho, o aumento foi de 114,2%. Esta semana, o DF também bateu um triste recorde: 19 mortes em 24 horas, o maior índice desde o início da pandemia.

A quantidade de casos também foi bem maior em quatro dias desta semana em comparação ao mesmo período da semana passada: 3.559 contra 2.413. Nesta quinta-feira (11/06), a cidade chegou a 20.507 infectados e 250 mortes no total.

0

Flexibilizações

Nas últimas três semanas, o governo local tem flexibilizado as medidas que suspenderam atividades nos mais diversos setores. No dia 25 de maio, depois de 76 dias fechado, parte do comércio de rua reabriu. Dois dias depois, os shoppings receberam o aval para retomar o funcionamento.

No dia 3 de junho, quarta-feira da semana passada, parques e igrejas foram liberados. Na quinta (11/06), feriado de Corpus Christi, o Eixão do Lazer voltou a acontecer após três meses fechado para entretenimento. E houve a estreia da W3 Sul do Lazer. Com as vias fechadas para trânsito de veículos, o asfalto foi tomado pelas pessoas atrás de atividades físicas.

Ao mesmo tempo, a taxa de ocupação das UTIs para casos de coronavírus também tem aumentado. Nesta sexta-feira (12/06), 65,6% das unidades particulares e públicas na cidade estavam com infectados, segundo dados divulgados pela Secretaria de Saúde.

Ceilândia

O aumento do número de casos e mortes em Ceilândia e Estrutural fez com que o GDF retomasse a restrição de atividades nessas duas cidades durante 72 horas, entre segunda (08/06) e quarta-feira (10/06). Esse crescimento pode ser mostrado também com a comparação entre as duas últimas.

Entre 1º e 4 de junho, a cidade monitorou 447 novos casos e quatro mortes. Já entre 8 e 11 de junho, 520 infectados foram registrados e os óbitos chegaram a 14 somente nesses quatro dias. Entretanto, a suspensão não foi renovada.

“O decreto das 72 horas tem valor educativo, é um apelo para a conscientização das pessoas. Agora, com o feriado [desta quinta], as pessoas podem se organizar melhor, se proteger. De todo o jeito, estou com a caneta na mão. Se notarmos que não estamos conseguindo alcançar nossos objetivos de manter a situação sob controle, aí podemos ser mais duros, com restrição de até 5 dias nas regiões mais afetadas”, disse o governador Ibaneis Rocha (MDB) à coluna Grande Angular, do Metrópoles.

Últimas notícias