DF: avô fingiu abandono de recém-nascida para ajudar a filha

A bebê foi encontrada em 18 de novembro, em uma sacola plástica. A história de abandono, contudo, foi uma invenção do avô materno

atualizado 11/12/2019 20:06

Istock

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) identificou quem é a mãe da recém-nascida supostamente abandonada dentro de uma sacola plástica em Sobradinho no dia 18 de novembro. De acordo com o delegado-chefe de 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho), Hudson Maldonado, a história do abandono foi inventada pelo avô, que não queria ficar com a criança.

Segundo o investigador, a mãe da criança é filha do homem e o ligou pedindo ajuda. “Essa moça de 36 anos tem oito filhos, este seria o nono. Sua filha mais velha tem 20 anos e o mais novo, 2. Ela deu à luz em Santa Maria, mas não queria assumir. Ligou para o pai e disse que o recém-nascido era de uma amiga, que não teria como cuidar da criança e, por isso, teria deixado o bebê com ela”, explicou.

Maldonado afirma que o pai acreditou na versão da filha. “Em um primeiro momento, ele comprou a história, mas quando viu que o bebê estava com cordão umbilical, ficou confuso. Desesperado, ele bateu na porta da vizinha e inventou a história de que o recém-nascido teria sido abandonado nesta sacola, pois não queria criá-lo. Depois disso, ligou para o Corpo de Bombeiros.”

Para justificar o abandono, a mulher relatou aos policiais da 13ª DP ter engravidado após um estupro. “Ela realmente alega que teria sido vítima de abuso sexual, mas não nos convenceu. Haverá apuração acerca desse fato”, acrescentou Maldonado.

Como a recém-nascida não foi exposta a perigo, a PCDF descarta, até o momento, classificar o crime como abandono de incapaz. O avô materno da criança, entretanto, poderá responder por falsa comunicação de crime, uma vez que mentiu sobre a denúncia.

Agora o bebê está em um lar provisório, sob supervisão do Conselho Tutelar de Sobradinho. “Quem irá decidir com quem essa criança irá ficar é o juiz. Graças a Deus, ela passa bem”, finalizou  delegado.

“Helena”

A recém-nascida foi encontrada na noite de 18 de novembro. Na época, a recém-nascida precisou ser internada no Hospital Regional de Sobradinho (HRS). Na unidade pública de saúde, a menina recebeu o nome de Helena, dado pela equipe médica que a acompanha. A comunicação do abandono partiu do Conselho Tutelar de Sobradinho.

Em Taguatinga

Caso parecido ocorreu em 31 de outubro em Taguatinga Norte. Uma bebê foi abandonada dentro de uma sacola de papel na QNB 13 pela mãe, uma jovem de 17 anos. A menina – batizada de Maria, no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) – passou 10 minutos dentro do recipiente até ser localizada.

A bebê recebeu medida protetiva de acolhimento institucional, aplicada pela Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal, após receber alta, e foi encaminhada a um abrigo.

Veja imagens do abandono do caso de Taguatinga:

:

0

Mais lidas
Últimas notícias