DF: Conselho de Educação sugere reposição de aulas aos sábados e feriados

Entidade publicou uma série de medidas a serem seguidas pelas redes pública e privada durante a pandemia

atualizado 21/05/2020 22:25

O Conselho de Educação do Distrito Federal divulgou, nesta quinta-feira (21/05), uma série de recomendações às redes pública e privada de ensino que devem ser seguidas enquanto durar a suspensão das atividades presenciais em função do risco de contágio pelo novo coronavírus, e para quando o retorno dos estudantes for autorizado pelo Executivo local.

Entre as orientações, o conselho sugere aos colégios que, em caso de volta às aulas, realizem a reposição da carga horária mínima aos sábados, finais de semana e feriados.

O órgão da Secretaria de Educação do DF (SEE-DF) também pede que as instituições privadas de ensino reprogramem o recesso escolar, preferencialmente, para o período de 10 a 18 de outubro deste ano.

A pasta recomenda que, com a volta das atividades presenciais, as escolas adotem regime de trabalho domiciliar para estudantes que testarem positivo para o novo vírus ou que sejam do grupo de risco.

A lista também traz medidas que devem ser adotadas pelas instituições de ensino superior e profissional. Em uma delas, a Educação pede que as faculdades, universidades e os centros de ensino técnico evitem, sempre que possível, momentos presenciais referenciados, como estágios, aulas práticas e atividades laboratoriais.

É pedido que o ensino superior também substitua as avaliações presenciais por atividades que possam ser realizadas remotamente.

Volta às aulas?

Por enquanto, as aulas presenciais seguirão suspensas em toda a rede de ensino. Nessa quarta (20/05), o Metrópoles mostrou que o Governo do DF não pensa em autorizar a volta das aulas presenciais antes do fim de julho.

Segundo o secretário de Educação do DF, João Pedro Ferraz, o governador Ibaneis Rocha (MDB) avalia o retorno apenas a partir de agosto, caso seja seguro.

“O governador tem dito que as escolas serão as últimas atividades a voltar, por recomendação da Secretaria de Saúde. Ele só pensa na volta das aulas a partir de agosto, se estiver seguro para alunos e professores”, frisa Ferraz.

Também nessa quarta (20/05), a Secretaria de Educação divulgou de que modo ocorrerá a divisão das aulas da rede pública, que serão transmitidas pela televisão por causa da suspensão de encontros presenciais enquanto durarem as medidas de isolamento decorrentes da pandemia do novo coronavírus.

0

Últimas notícias