Número de presos com coronavírus no DF dispara 65% e chega a 38

Balanço divulgado nesta quarta (15/04) registra aumento expressivo em relação aos números de segunda-feira. Há 25 agentes penais infectados

atualizado 16/04/2020 9:15

Subiu para 38 o número de presos infectados e para 25 o de agentes penais do Distrito Federal que testaram positivo para o coronavírus. As informações foram divulgadas pela Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), às 18h desta quarta-feira (15/04).

Na segunda-feira (13/04), as quantidades eram, respectivamente, 23 e 20. Dessa forma, o crescimento percentual da infecção corresponde a um aumento de casos na ordem de 65% entre os prisioneiros e de 25% entre os servidores. Cabe ressaltar que os presidiários estão em confinamento, enquanto os agentes não.

A Sesipe destaca que não há registros de casos graves entre os infectados e que um dos servidores já se recuperou da doença. “Parte dos que testaram positivo aguardam a contraprova, ou seja, os números podem sofrer alterações nos próximos levantamentos”, disse a subsecretaria por meio de nota.

Oito dos detentos que testaram positivo desde o último boletim, divulgado na terça (14/04), foram identificados no período de quarentena assim que chegaram ao Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo Penitenciário da Papuda.

Eles foram examinados antes de dividirem as celas com os demais internos, “o que comprova a importância do período de isolamento de 14 dias imposto, antes mesmo da identificação dos primeiros casos da Covid-19 no Sistema Penitenciário como medida de prevenção ao coronavírus no ambiente carcerário”, ressalta a Sesipe.

Dos agentes confirmados para a doença, seis são do CDP; 15, do Centro de Internamento e Reeducação (CIR); e quatro, do Presídio do Distrito Federal II (PDF-II). Dos internos, 10 são do CDP; 20, do CIR; e outros oito estão separados, em quarentena, no CDP.

Prisões domiciliares

Em meio à pandemia, a Justiça do Distrito Federal concedeu cerca de 700 prisões domiciliares a internos do regime semiaberto desde o dia 23 de março, quando teve início um mutirão para analisar quem teria direito à concessão da progressão antecipada para o regime aberto em função da pandemia do novo coronavírus.

Com a medida, que tem o objetivo de frear a propagação da doença no sistema prisional do Distrito Federal, estima-se que as lotações do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) e do CIR tenham reduzido, em média, 16%.

No CPP, 268 presos receberam o benefício, o que representa redução de 17% da população carcerária à época, que era composta por 1.568 pessoas. Já no CIR, 350 foram beneficiados, uma queda de 16%, tendo em vista os 2.079 internos no momento.

Os dois espaços concentram a maior parte dos internos do semiaberto. As informações foram divulgadas pelo Ministério Público do DF e dos Territórios (MPDFT), nesta quarta-feira.

Do total dos 700 detentos autorizados a cumprir pena em casa, também estão incluídos os das Penitenciárias do Distrito Federal I e II (PDF I e II), do Centro de Detenção Provisória (CDP) e do presídio feminino.

O benefício parte de determinação da Vara de Execuções Penais (VEP), a pedido da Defensoria Pública. Segundo levantamento do órgão, a situação de mais de 900 processos é objeto de análise.

Com informações da SSP-DF

Últimas notícias