PCDF divulga foto de homem que matou e esquartejou por ciúmes da namorada

Josimar da Penha Santos (foto em destaque) é suspeito de matar Danilo Rocha em uma casa no Itapoã, com a ajuda de outros comparsas

atualizado 05/06/2020 7:44

Divulgação/PCDF

A Polícia Civil do Distrito Federal procura Josimar da Penha Santos (foto em destaque), 33 anos, suspeito de matar e esquartejar Danilo de Oliveira da Rocha, 27, e ocultar o cadáver dentro de uma mala em um terreno nos fundos do Fórum do Itapoã. O corpo foi achado na madrugada de terça-feira (02/06).

O crime ocorreu entre a noite de sexta-feira (29/05) e a madrugada de sábado (30/05), em uma casa no Condomínio Del Lago, no Itapoã. Depois da barbárie, os acusados foram comer pizza. Segundo investigadores da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), o motivo do homicídio seria o fato de a vítima ter mexido com a namorada de um dos suspeitos pelo assassinato.

 

Quatro suspeitos foram identificados e três acabaram presos em flagrante. De acordo com os depoimentos colhidos na 6ª DP, Danilo estava em uma festa regada a drogas e álcool na residência de Josimar, conhecido como Coroa.

No local, estavam ainda outros suspeitos — João Paulo Fonseca Sousa, 22, Wemerson da Penha Batista, 26, e Adrian de Oliveira da Silva, 19 — que foram presos.

João Paulo contou aos policiais que, na casa onde ocorria a festa, havia consumo de drogas, como LSD, cocaína, maconha e Rohypnol. No decorrer do evento, houve confusão entre Danilo e Josimar. O pivô do desentendimento seria a namorada de Coroa. A vítima foi cercada, espancada e sofreu diversas perfurações pelo corpo, com tesoura e canivete.

0

Morte agonizante

Ainda de acordo com o depoimento dos envolvidos, Danilo ainda agonizava quando o grupo resolveu “acabar com o sofrimento” dele. Segundo o termo de declaração de João Paulo, os criminosos deram novos golpes no rapaz até que ele morresse. Em seguida, Josimar sugeriu que os comparsas “desaparecessem” com o corpo. Então, teve início a um ritual macabro de revezamento para que o cadáver fosse esquartejado o mais rápido possível.

A ação ocorreu no banheiro da casa – uma machadinha foi usada para desmembrar a vítima. O corpo de Danilo foi cortado ao longo de toda a noite, depois colocado dentro de uma mala.

O grupo foi até um terreno nos fundos do Fórum do Itapoã e abandonaram a mala. Preocupados, os suspeitos retornaram ao local mais uma vez, para enterrá-la, na manhã de domingo (31/05).

Na mesma tarde, todos se reuniram para comer pizza e tentar fazer um pacto de silêncio a fim de manter o crime em sigilo. No entanto, as informações chegaram até policiais da 31ª DP (Planaltina), que acionaram os investigadores na unidade do Paranoá.

A PCDF disponibiliza os seguintes meios para recebimento de denúncias:

• O Disque-Denúncia, telefone 197 – ligação gratuita – 24 horas;
• O e-mail: [email protected];
• WhatsApp (61) 98626-1197;
• O Denúncia On-line: http://www.pcdf.df.gov.br/servicos/197

Últimas notícias