Adílson Batista detona Cruzeiro e pede prisão de dirigentes

Em entrevista, o ex-técnico da Raposa revelou detalhes dos caóticos bastidores do clube

atualizado 14/06/2020 15:39

Bruno Haddad/Cruzeiro

Em entrevista ao jornalista Jorge Nicola, da ESPN Brasil, o técnico Adílson Batista revelou detalhes nada agradáveis de sua passagem pelo Cruzeiro. Indignado, o comandante, atualmente sem clube, descreveu alguns dos desmandos vividos nos bastidores do clube.

“Uma folha salarial de R$ 16 milhões é um absurdo! O Cruzeiro tinha jogadores com salário de R$ 1 milhão que ficaram no banco, o que também é um erro. Jogador ganhando R$ 900 mil, R$ 800 mil, R$ 700 mil… Tem menino da base ganhando R$ 150 mil! Cara que fez cinco jogos!”, criticou.

“Tinha menino lá que o empresário recebeu R$ 500 mil em comissão. Teve indenização de R$ 50 milhões! Hoje, o rombo é de R$ 1 bilhão. É difícil, você fica triste…”, lamentou Adílson.

Para ele, os maiores culpados são os dirigentes, e não os jogadores. Em especial, ele cita o ex-presidente Wagner Pires de Sá e o ex-diretor de futebol Itair machado. “Eu vou esperar eles serem presos. O Ministério Público, a Polícia Federal (têm que agir)… Eles têm que vir (para Curitiba, na Polícia Federal)… Têm que pagar, porque o que eles fizeram com o clube é para sair enjaulado”.

Vídeos
Últimas notícias