Lá vem o Newcastle: afinal, ser um “novo rico” dá jogo?

Metrópoles recorda equipes que subiram de patamar depois que receberam investimento estrangeiro, assim como os problemas que chegaram

atualizado 01/05/2020 21:47

Serena Taylor/Newcastle United via Getty Images

A compra do Newcastle por um fundo de investimento árabe, capitaneado pelo príncipe Mohammed bin Salman, ainda nem foi finalizada, e já é motivo de muita polêmica e debate. Isso porque, a Arábia Saudita tem um longo histórico de violação aos direitos humanos.

Mesmo que a Anistia Internacional tenha aconselhado a Premier League a não aprovar a compra, é improvável que os bilhões dos árabes sejam rejeitados, a exemplo do que aconteceu com Chelsea e Manchester City, que também receberam investimentos de fontes controversas.

A seguir, o Metrópoles relembra clubes da Inglaterra e da França e como a vida mudou após eles terem se transformado em novos ricos, para o bem e para o mal:

Chelsea
Comprador: Roman Abramovich, empreendedor russo
Quando: 2003
Antes da grana: um Campeonato Inglês (1954-55); três títulos da FA Cup (1969-70, 1996-1997, 1999-2000); duas Copas da Liga Inglesa (1964-65, 1997-98)
Depois da grana: cinco Premiers League (2004-05, 2005-06, 2009-10, 2014-15, 2016-17); cinco FA Cups (2006-07, 2008,09, 2009-10, 2011-12, 2017-18), três Copas da Liga Inglesa (2004-05, 2006-07, 2014-15); uma Champions League (2011-12), duas Europa League (2012-13 e 2018-19)
Treta: em 2019, o clube foi punido pela Uefa por violar regras para assinar jogadores com menos de 18 anos de idade. O Chelsea recebeu uma multa e ficou proibido de contratar atletas pelas próximas duas janelas de transferência.

Manchester City
Comprador: Abu Dhabi United Group
Quando: 2008
Antes da grana: dois Campeonatos Ingleses (1936-37, 1967-68), quatro FA cups (1903-04, 1933-34, 1955-56, 1968-69), duas Copas da Liga Inglesa (1969-70, 1975-76)
Depois da grana: quatro Premier Leagues (2011-12, 2013-14, 2017-18, 2018-19); duas FA Cups (2010-11, 2018-19); cinco Copas da Liga Inglesa (2013-14, 2015-16, 2017-18, 2019-20).
Treta: No começo deste ano, a Uefa decidiu banir o Manchester City por dois anos de qualquer competição europeia. A punição é resultado de uma investigação que concluiu que o clube estava inflacionando de forma falsa os valores de seus patrocínios. O time já avisou que planeja recorrer do caso.

PSG
Comprador: Qatar Sports Investments
Quando: 2011
Antes da grana: dois Campeonatos Franceses (1985-86, 1993-94); oito Copas da França (1981-82, 1982-83, 1992-93, 1994-95, 1997-98, 2003-04, 2005-06, 2009-10); três Copas da Liga Francesa (1994-95, 1997-98, 2007-08)
Depois da grana: sete Campeonatos Franceses (2012-13, 2013-14, 2014-15, 2015,16, 2017-18, 2018-19, 2019-20); quatro Copas da França (2014-15, 2015-16, 2016-17, 2017-18); cinco Copas da Liga Francesa (2013-14, 2014-15, 2015-16, 2016-17, 2017-18)
Treta: O presidente do PSG, Nasser Al-Khelaïfi, será julgado pela compra de direitos de transmissão de Copas do Mundo. Ele é acusado de gestão desleal e instigação a gestão desleal, falsificação de documentos e corrupção passiva.

Monaco
Comprador: Dimitry Rybolovlev, bilionário russo
Quando: 2011
Antes da grana: sete Campeonatos Franceses (1960-61, 1962-63, 1977-78, 1981-82, 1987-88, 1996-97, 1999-00); cinco Copas da França (1959-60, 1962-63, 1979-80, 1984-85, 1990-91); uma Copa da Liga Francesa (2002-03)
Depois da grana: um Campeonato Francês (2016-17); duas Copas da Liga Francesa (2016-17, 2017-18)
Treta: Nenhuma. Por enquanto.

Vídeos
Mais lidas
Últimas notícias