Rapinoe leva prêmio de melhor jogadora e solta o verbo em discurso

"Se realmente queremos mudanças, precisamos de todo mundo se posicionando contra o racismo, contra a homofobia (...)", manifestou a atleta

atualizado 23/09/2019 18:13

Michael Regan/Getty Images

A melhor jogadora do mundo foi norte-americana Megan Rapinoe. Foi a quarta atleta dos Estados Unidos a conquistar a distinção. “Temos a oportunidade de jogar o futebol, que um esporte lindo, para fazer um mundo melhor”, disse. A premiação aconteceu na tarde desta segunda-feira (23/09/2019) e teve presença da rainha brasileira.

Durante o discurso, a capitã da seleção dos EUA pediu atitude acerca de assuntos que insistem em fazer parte do cenário do futebol, como preconceito e racismo:

“Se realmente queremos mudanças, precisamos de todo mundo se posicionando contra o racismo, contra a homofobia, pela igualdade de pagamentos. Temos grandes oportunidades, temos grande sucesso, uma grande plataforma. Temos a oportunidade de usar esse jogo lindo para realmente mudar esse mundo para melhor. Temos um poder incrível nesta sala.”

A holandesa Sari van Veenendaal, de 29 anos, foi eleita a melhor goleira do mundo. Marta, do Orlando Pride, foi escolhida para a seleção feminina mundial FIFPro. É a primeira vez que a entidade mundial que representa os jogadores e jogadoras profissionais premia uma seleção feminina na festa da Fifa.

A seleção mundial da FIFPro é: Sari van Veendaal (Holanda); Lucy Bronze (Inglaterra), Nilla Fischer (Suécia), Kelly O’Hara (Estados Unidos) e Wendie Renard (França); Julie Ertz (Estados Unidos), Amandine Henry (França) e Rose Lavelle (Estados Unidos); Alex Morgan (Estados Unidos), Megan Rapinoe (Estados Unidos) e Marta (Brasil).

A norte-americana Jill Ellis, que comandou a seleção dos Estados Unidos ao título do Mundial na França, ganhou o prêmio de melhor treinadora de futebol feminino do mundo.

Com informações da Agência Estado.

Vídeos
Mais lidas
Últimas notícias