Fome no mundo pode dobrar com crise provocada pelo coronavírus

Segundo relatório do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (ONU), 265 milhões de pessoas sofrerão com insegurança alimentar

atualizado 21/04/2020 14:21

Silvanus Okumu/PMA

Relatório do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (ONU) indicou que, neste ano, o número de pessoas que sofrem com insegurança alimentar aguda pode dobrar e chegar a 265 milhões.

Os dados foram estimados com base em perdas de receita com turismo, restrições a viagens e queda de remessas, segundo a ONU, segundo agências internacionais.

O economista chefe e diretor de pesquisa do Programa Mundial de Alimentos, Arif Husain, informou que o novo coronavírus, que provoca a Covid-19, é “potencialmente catastrófico” para milhões de pessoas. “Precisamos nos unir ou o custo será alto demais”, disse em videoconferência.

Segundo Husain, África pode ser o continente mais atingido pela crise. O programa da ONU quer garantir entre US$ 10 bilhões e US$ 12 bilhões para financair os programas de assistência que dão suporte às pessoas em situação mais vulnerável.

Últimas notícias