Lacalle diz que Mercosul deve deixar de lado questões ideológicas

Novo presidente uruguaio tomou posse em cerimônia neste domingo, com a presença do mandatário brasileiro, Jair Bolsonaro

atualizado 02/03/2020 9:35

Enviada especial a Montevidéu – Em uma cerimônia no Palácio Legislativo, conduzida pelo ex-presidente e hoje senador, Pepe Mujica, o novo presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, fez o compromisso de posse no início da tarde deste domingo (01/03/2020).

Mujica conduziu a cerimonia de tomada dos votos por ser o senador mais votado na última eleição. A posse de Lacalle coloca fim a uma era de 15 anos de governo de centro-esquerda, iniciado com Mujica, seguido por Tabaré Vázquez, que deixa agora o poder.

No discurso, Lacalle Pou reforçou a ideia de integrar mais a economia do país ao mundo e, nesse contexto, fortalecer o Mercosul. Ele defendeu que cada país possa avançar em processos bilaterais com outras nações.

“É preciso fortalecer o Mercosul e, ao mesmo tempo, flexibilizar o bloco para que cada sócio possa firmar acordos bilaterais com outros países. Queremos terminar o processo de internalizar o tratado firmado pelo Uruguai e o Mercosul com a União Europeia. Os processos iniciados devem ser concluídos”, disse Lacalle Pou, na primeira parte da cerimônia de posse.

Lacalle Pou disse ainda que orientações ideológicas devem ficar de fora das decisões do bloco. “Não deve importar a orientação de cada um dos membros do Mercosul. Para afiançar nossos interesses comuns, devemos deixá-los de lado, reduzidos às questões particulares de cada país. Se deixamos de lado essas questões ideológicas que nos podem diferenciar, o bloco vai se fortalecer no cenário internacional”, continuou.

Presença de Bolsonaro
Ao sair do Palácio Legislativo no Uruguai, após a cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) parou para reverenciar, de longe, pessoas que aguardavam a saída das autoridades, do outro lado da rua. Bolsonaro acenou antes de entrar no carro e houve vaias e aplausos.

Para a posse do uruguaio, viajaram com o presidente a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, os ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, o deputado federal Celso Russomanno (Republicanos-SP), a presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi, o secretário especial de Assuntos Estratégicos (SAE), Almirante Flavio Rocha, e o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior.

Mais lidas
Últimas notícias