Reino Unido terá lockdown até pelo menos 1º de junho, diz Boris Johnson

Medidas começaram a ser flexibilizadas no país. Premiê britânico apresentou três passos para a atividade voltar à normalidade

atualizado 10/05/2020 19:27

Boris JohnsonReprodução Twitter

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou, na tarde deste domingo (10/05), que o lockdown – isolamento total – vai perdurar até 1º de junho.

A medida faz parte de um plano para voltar às atividades no país. O projeto é baseado em três etapas. “Não é o momento de simplesmente encerrar o bloqueio nesta semana”.

Em vez disso, ele separou passos “cuidadosos” para modificar as medidas de lockdown.

Boris autorizou, agora, o trabalho para pessoas que não podem ficar em casa durante a crise econômica.

0

Os dois passos seguintes são baseados em uma abertura gradual das atividades no Reino Unido. Entenda como vai funcionar:

  • Passo 1: “Dissemos que você deveria trabalhar em casa e, se puder, só trabalhar se for necessário. Agora, precisamos enfatizar que qualquer pessoa que não possa trabalhar em casa deve ser encorajada a ir trabalhar”, disse.
  • Passo 2: “No mínimo, até 1º de junho – após o primeiro semestre – acreditamos que poderemos começar a reabertura em fases das lojas e levar os alunos primários de volta às escolas, em etapas, começando com a recepção, o primeiro e o sexto ano”, explicou Boris.
  • Passo 3: “O mais tardar em julho, somente se os números nos ajudar, esperamos reabrir pelo menos parte da indústria da hospitalidade e outros locais públicos, se for seguro e forçar o distanciamento social“, continuou.

Mais detalhes serão divulgados nesta segunda-feira (11/05) pelo parlamento britânico.

“Acredito que podemos ser mais fortes e melhores do que nunca. Mais resiliente, mais inovador, mais economicamente dinâmico, mas também mais generoso e mais compartilhado”, disse.

“Mas, por enquanto, devemos ficar alertas, controlar o vírus e salvar vidas”, finalizou. Confira aqui a íntegra do discurso oficial do primeiro-ministro britânico.

Mais lidas
Últimas notícias