Covid-19: homem fica internado por 62 dias e recebe conta de US$ 1,1 milhão

Michael Flor, um senhor estadunidense de 70 anos, foi surpreendido pelos custos do tratamento em hospital, o equivalente a R$ 5,5 milhões

atualizado 14/06/2020 23:50

Michael FlorArquivo Pessoal

Depois de passar 62 dias internado por causa da Covid-19 e quase morrer por causa da doença, Michael Flor, um senhor estadunidense de 70 anos, foi surpreendido por uma conta hospitalar no valor de US$ 1,1 milhão – o equivalente a R$ 5,5 milhões –  pelo tratamento. O detalhamento das despesas, de acordo com o “Seattle Times“, veio em um documento de 181 páginas.

Flor tem plano de saúde, o que vai acabar livrando-o de pagar a conta na totalidade – como o Congresso dos Estados Unidos destinou mais de R$ 100 bilhões para ajudar hospitais e companhias de seguro a custear o tratamento da Covid-19, ele pode ser liberado de pagar também as despesas com que teria que arcar do próprio bolso.

Para ele, contudo, a sensação é de “culpa” por ter sobrevivido. “Há um sentimento de ‘por que eu?’ Por que eu mereci tudo isso? Olhando o custo inacreditável de tudo, isso certamente adiciona culpa ao sobrevivente”, declarou.

O apartamento em que ele ficou, no Swedish Medical Center da cidade de Issaquah (Seatlle), por exemplo, custou US$ 9,7 mil por dia. Como o quarto foi isolado por causa do novo coronavírus e só podia ser acessado por médicos e enfermeiras com trajes especiais, os 42 dias de internação geraram uma conta de US$ 408,9 mil ao fim do processo.

Flor também teve que ser assistido por um ventilador mecânico em 29 dos 62 dias em que ficou na unidade, o que custou mais US$ 82 mil. Cerca de US$ 250 mil foram consumidos em medicamentos.

Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, de Baltimore, em Maryland, os EUA têm mais de R$ 2 milhões de casos confirmados da Covid-19, com 115,5 mil mortes.

0

 

Últimas notícias