*

Mais lidas

Refugiado sírio que corta cabelo com machado inaugura salão no DF

Ammar Kalsh ficou conhecido após vídeo em que usa ferramenta para cortar cabelo de cliente viralizar. Agora, comemora o próprio negócio

Daniel Ferreira/Metrópoles
Ian Ferraz
 

Ao fugir da Síria em 2014 com o equivalente a R$ 100 e apenas a roupa do corpo, Ammar Kalsh, 24 anos, jamais imaginaria que a vida lhe seria grata em pouco tempo. Após três anos, os horrores da guerra em seu país foram trocados por amizades, novo trabalho, um lar e o mais recente caso de amor com o Brasil: o próprio negócio.

Após muito esforço, o cabeleireiro inaugurou a própria barbearia na noite de sexta-feira (29/9), em Ceilândia, antecipando em meses o planejamento inicial — quando o Metrópoles contou a história dele, no início de julho, a previsão era 2018. Ammar ficou conhecido na internet depois de um vídeo dele cortando o cabelo de um cliente com martelo e machado viralizar. Foram mais de 300 mil visualizações. Rapidamente, o sírio se tornou atração da Barbearia Diniz, no Setor M de Ceilândia Sul, onde trabalhou por dois anos, conquistando clientes.

Agora, o endereço mudou. A Kalash Barbearia (grafia correta do sobrenome da família, mas que na documentação de Ammar é diferente) ocupa uma loja na QNM 3. No local, o jovem investiu não só os R$ 24 mil para reformar e comprar equipamentos, mas também sonhos e metas desde que chegou ao país. Para tirar o negócio do papel, teve que abrir mão de visitar os familiares ou viabilizar a vinda deles ao Brasil.

Nunca imaginei que chegaria até aqui. Saí do meu país com R$ 100 e cheguei até o Brasil. Foram dois anos sem sair, economizando e juntando dinheiro para abrir meu próprio negócio"
Ammar

 

A concentração do sírio no momento do corte de cabelo se reflete no tino para os negócios. Ex-vendedor de roupas, que cursava direito mas abandonou os estudos devido à guerra na Síria, Ammar é exigente e atento aos detalhes.

O rapaz escolheu e pensou em toda a decoração do salão, desde cadeiras e papéis de parede até os grafites de figuras que considera ídolo: o boxeador Muhammad Ali, o lendário Bob Marley, o físico Albert Eistein e a atriz Marilyn Monroe. Todos registrados no traço do artista Panela.

O espaço, segundo ele, estará completo quando trouxer elementos de suas raízes, como uma bandeira da Síria, que pretende fixar no teto da barbearia.

O salão, inaugurado na sexta, tem quatro cadeiras para atender os clientes, sofá, sinuca e, em breve, geladeira com bebidas e videogame. O corte de cabelo e a barba saem por R$ 15, e a satisfação, segundo Ammar, é garantida. A barbearia ainda oferece limpeza de pele, por R$ 50.

 

Família cresceu
A moradia no Brasil deixou de ser solitária há tempos. O bom papo do sírio fez com que a única barreira momentânea fosse a língua portuguesa. Na medida em que aprendia novas palavras, o círculo de amizade se ampliava para além dos irmãos Amjad e Ahmad, assim como os hábitos locais, gírias e gestos — entre eles, abraços e outros cumprimentos comuns no Brasil.

O “Homem-Bomba”, como é chamado, cativou as pessoas com a sua história de refugiado e simplicidade. Ao se sentir acolhido no Brasil, fez questão de retribuir. Quando trabalhava na Barbearia Diniz, ajudou Luciano Nunes da Silva a conseguir um emprego no local. Ammar ensinou Luciano a cortar cabelo. Gratidão que o funcionário define com um largo sorriso: “O que ele fez por mim é coisa de irmão. Acredito até que muitos irmãos não fariam o que ele fez”.

Luciano é um dos funcionários da barbearia do jovem sírio. Ammar ganhou o amigo ao ensiná-lo técnicas de venda e num momento em que estava desempregado. A confiança que Luciano ganhou ao ser chamado para trabalhar na barbearia atingiu um novo patamar: se tornou o cabeleireiro do patrão. “Ele é chato e bem exigente, fica dando palpite, mas nos entendemos”, brinca.

Ajuda do contador
Outra pessoa crucial para o empreendedorismo do sírio é o consultor contábil Daniel Rodrigues, que viabilizou a documentação e toda parte burocrática enfrentada por quem deseja abrir uma empresa no Brasil. “Conheci o Ammar em 2016. O profissionalismo dele me chamou a atenção e passei a cortar o cabelo com ele. Logo nos tornamos amigos e fiz questão de dar dicas e uma força nesse sentido”, explica Daniel.

O círculo fica quase completo com a parceria da namorada Vanessa Correia, com quem Ammar está morando há quatro meses. Essa história estará concluída quando o cabeleireiro conseguir trazer o restante da família, que mora em Berlim, para o Brasil: a mãe, Fathia; o pai, Fathi; a irmã Dana e o irmão Yazan.

Serviço
Kalash Barbearia
QNM 3, conjunto B, casa 9
De segunda a sábado, das 8h às 23h
Domingo, das 8h às 14h

 

 

COMENTE

ammar kalshrefugiado síriokalash barbearia
comunicar erro à redação

Leia mais: Ceilândia

301381