Brasil atinge 37.312 mortes por coronavírus e 685.427 casos, informa Saúde

As informações foram divulgadas pelo Ministério da Saúde na noite deste domingo (07/06). Só nas últimas 24 horas, foram 1.382 óbitos

atualizado 07/06/2020 22:03

ilustração coronavírusadoslav Zilinsky/GettyImages

De acordo com atualização do Ministério da Saúde neste domingo (07/06), em nova plataforma, o Brasil registra 37.312 mortes em decorrência da Covid-19 e 685.427 casos confirmados. Só nas últimas 24 horas, foram registrados 12.581 novos infectados e 1.382 óbitos.

O Brasil ocupa o 2º lugar no ranking mundial de casos de Covid-19 e o 3º lugar em relação ao número de mortes. Na quinta, o país ultrapassou a Itália na quantidade de falecimentos e, desde então, fica atrás apenas dos Estados Unidos e da Inglaterra.

Neste domingo, o ministério divulgou nota informando que está em fase de finalização a adequação da divulgação e ferramentas de informação sobre casos e óbitos de Covid-19.

“Poderão ser conferidos os extratos da plataforma em desenvolvimento referentes ao Brasil, regiões nacionais, estados, capitais/regiões metropolitanas, com os respectivos gráficos de evolução diária dos novos registros”, afirma a pasta.

“O objetivo é que, nos próximos dias, estejam disponíveis em uma página interativa que possa trazer os resultados desejados pelo usuário. Assim, será possível acompanhar com maior precisão a dinâmica da doença no país e ajustar as ações do poder público diante a cada momento da resposta brasileira à doença”, encerra a nota.

Dados atrasados

O boletim diário do Ministério da Saúde virou assunto polêmico na última semana. Nesse sábado (06/06), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o governo passou a adotar uma nova sistemática para prestar informações sobre o avanço da pandemia do novo coronavírus no país para evitar subnotificações e inconsistências.

O documento, que começou a ser divulgado às 16h na gestão Mandetta, foi adiado permanentemente para as 19h durante o período de Nelson Teich como ministro da Saúde. Desde a saída do oncologista, a divulgação dos números para a população vem atrasando cada vez mais: na quarta, quinta, sexta e sábado, a tabela atualizada só foi enviada às 22h.

A pasta justificou o atraso de quarta-feira como sendo causado por “problemas técnicos” e o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, chegou a dizer, em entrevista coletiva, que o a compilação de dados é complexa e, às vezes, era necessário ligar para as secretarias em busca de confirmações.

Depois disso, não houve justificativa. Mas, nos bastidores, a especulação é que o presidente Jair Bolsonaro teria ordenado o atraso para que os jornais televisionados à noite e os veículos impressos não conseguissem fazer a divulgação. Ele mesmo disse a apiadores, na frente do Alvorada: “Acabou matéria do JN”.

0

Últimas notícias