Malhar com intensidade em casa pode prejudicar imunidade. Entenda

Ao contrário do que se pode imaginar, aproveitar o tempo livre na quarentena para pegar muito pesado na malhação pode prejudicar a saúde

atualizado 20/04/2020 19:41

Mulher fazendo exercício em casaNitat Termmee/ GETTYIMAGES

Muitas pessoas têm aproveitado o tempo livre na quarentena para intensificar a prática de exercícios físicos. Mesmo com as academias fechadas, não é incomum ver internautas exibindo seus treinos “hardcore” nas redes sociais, seja na sala de estar de casa, seja ao ar livre e longe de aglomerações.

Além de melhorar o humor, a atividade física regular pode fornecer impulso oportuno à capacidade do organismo de combater vírus e infecções e, por isso, é essencial em tempos de pandemia. No entanto, o excesso pode ter efeito contrário. De mocinha, a malhação pode se tornar a vilã do sistema imunológico.

“Não queremos dizer às pessoas para não praticar exercícios físicos durante esta crise – a prática é realmente importante. Mas, se você está pegando mais pesado nos treinos durante a quarentena porque tem tempo livre de sobra em mãos, precisa ficar atento”, advertiu Matthew Jackson, professor de Ciências do Esporte e da Saúde da Universidade Liverpool Hope, em entrevista ao Daily Mail.

O pesquisador apontou uma pesquisa recente que mostra que os níveis de imunoglobulinas, conhecidas como anticorpos, ficam mais baixos após exercícios vigorosos.

“Períodos prolongados de atividade aeróbica intensa podem realmente levar à imunossupressão”, alertou. “Você precisa tomar cuidado para não entrar nessa grupo que pesa a mão no treino e fica com a imunidade comprometida”, emendou.

No atual clima do coronavírus, o professor recomenda exercícios de, no máximo, uma hora de duração por dia.

Mais lidas
Últimas notícias