Mariam Chami, a brasileira que desmistifica a rotina da mulher muçulmana

Influenciadora usa o Instagram para mostrar como é ser muçulmana no Brasil e dismisitificar vários aspectos da religião

atualizado 12/06/2020 11:24

A brasileira Mariam Chami, de 29 anos, tem 95 mil seguidores no Instagram. E contando. O número pode soar modesto diante da quantidade de followers de muitos influenciadores, não fosse pelo conteúdo que ela produz. Em vez de moda, nutrição e beleza, Mariam usa as redes sociais para mostrar como é a vida de uma mulher muçulmana em Florianópolis (SC).

A jovem é filha de pai libanês muçulmano e mãe brasileira convertida ao islamismo há mais de 30 anos. A ideia de criar um canal para dismistificar a religião surgiu a partir de experiências pessoais e cotidianas.

“Até o ensino médio, estudei em uma escola em que muitos dos meus amigos eram muçulmanos. Somente na faculdade me deparei com uma realidade diferente. Foi bastante difícil. No começo do curso, ninguém falava comigo. Além de haver uma resistência a minha presença, eu também era muito tímida”, conta.

0

De forma bem humorada, a influencer apresenta pautas que vão desde o mito de que as mulheres muçulmanas tomam banho com hijab (o véu usado na religião islâmica) até a maquiagem associada às adeptas da religião, inspiradas na personagem Jade, da novela O Clone.

Nos últimos meses, os seguidores também passaram a acompanhar a primeira gestação de Mariam. Agora, ela também compartilha experiências comuns a muitas mulheres grávidas, como ouvir comentários incovenientes de conhecidos.

Outro assunto que a catarinense aborda com frequência é sobre o estigma de que homens muçulmanos maltratam suas esposas, experiência que Mariam afirma nunca ter passado com o marido,  Mahmmud Mashni.

“Existe homem de todo tipo: calmo, agitado, grosso, educado, opressor, humano, mulherengo, fiel, e assim por diante. Tudo isso são características que nada tem a ver com religião alguma”, diz.

Por isso, a incluenciadora incentiva os seguidores a desconstruirem seus preconceitos em relação ao Islã.

“Apesar de todas as religiões pregarem o amor e o respeito, o ser humano é complexo. Não julgue pela religião, pois todas elevam o ser humano. Não existem para regredi-lo. Se for para julgar, julgue pelo caráter. Mas o melhor mesmo é não julgar ninguém”, conclui.

Islã no Brasil

Fundamentada em Allah (palavra árabe para Deus) e no profeta Maomé, a fé islâmica segue o Alcorão (livro sagrado) e nasceu no Oriente Médio. Para os muçulmanos, como são conhecidos os seguidores do Islã, Maomé teria sido o último profeta de Deus, mas não o único deles. Moisés, Abraão e Jesus Cristo também são reconhecidos.

A maioria dos adeptos está no Sul da Ásia. A Indonésia é o país com maior quantidade de muçulmanos no mundo, sendo o lar de 14% dos seguidores da doutrina.

O Islã é uma das religiões que mais crescem no planeta. Aproximadamente 23% da população mundial é muçulmana. No Brasil, grande parte dos seguidores vive em São Paulo, no Paraná e no Rio Grande do Sul. Também há praticantes no Distrito Federal.

Últimas notícias