Pantone anuncia nova cartela de cores e fala de “apropriação alegre”

O lançamento gerou polêmica nas redes sociais

atualizado 22/05/2018 23:58

Reprodução

A Pantone, instituto especializado em cor, envolveu-se numa polêmica nessa terça-feira (22/5). Ao anunciar sua nova cartela de cores, batizada de Novo Nativo, o bureau de tendências citou entre as referências uma “apropriação alegre” de diferentes culturas. Nas redes sociais, o posicionamento não pegou bem.

De acordo com a divulgação oficial da Pantone, o conjunto de cores formado por sete tons (Linen, Ginger, Terra Cotta, Dazzling Blue, Cadmium Yellow, Barn Red e Rum Raisin) é um retrato de uma realidade na qual as pessoas “adotam e misturam outras culturas com as suas próprias. O resultado é uma direção de design que celebra influências mistas e a fertilização transcultural. Cada vez mais nômades, nossos centros urbanos, já considerados caldeirões culturais, estão se tornando progressivamente mais diversificados”.

Em outro trecho causador de revolta nos internautas, o instituto indica a origem das influências que levaram ao mix de tonalidades: “Anos de globalização e o movimento de pessoas e produtos trouxeram uma paleta de cores globalizada e uma estética de design desprovida de premeditação, a que chamamos de Novo Nativo. Um mash-up de influências impossível de se fixar a qualquer ponto de partida, a estética do novo nativo é o epítome da apropriação alegre e uma celebração da diversidade”.

Reprodução/Pantone

No Twitter, as pessoas questionaram a comunicação. “O que vocês estão fazendo, Pantone? Não existe apropriação alegre”, criticou um seguidor. Outro tuíte sugeriu ao instituto que desistisse da divulgação. “Novo nativo? Apropriação alegre? A remoção é real”.

Mais lidas
Últimas notícias