Seis dicas práticas para organizar seu home office na quarentena

O Metrópoles selecionou algumas orientações para aproveitar o trabalho em casa

atualizado 17/03/2020 11:36

Mulher trabalhando em casahobo_018/GETTYIMAGES

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Saúde regulamentou os critérios de isolamento e quarentena a pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19. Como consequência, o home office surge como uma das alternativas para respeitar as recomendações das autoridades médicas e evitar a proliferação da doença.

Para algumas pessoas, essa modalidade de trabalho não é muito comum. Segundo especialistas em organização, a disposição inadequada de objetos, restos de embalagem e excesso de itens, incluindo lembranças de família, têm impacto direto na produtividade.

Segundo a personal organizer Renata Muniz, as mesas de trabalho precisam ser pensadas estrategicamente de modo a não permitir distrações.

“É preciso evitar ao máximo informações que não irão contribuir com trabalho”, ensina.

O Metrópoles selecionou oitos dicas de organização para você conseguir ter sucesso e produtividade enquanto estiver trabalhando em home office.

 Iluminação e ventilação

Para sentir-se bem no escritório caseiro, é fundamental uma boa iluminação e ventilação, evitando problemas nos olhos ou de respiração.

É importante que o ambiente de trabalho tenha uma janela que ilumine e contribua para a circulação de ar. A luz não deve incidir diretamente sobre a mesa de trabalho para não causar desconforto visual nem estragar equipamentos, como o computador.

Caso o ambiente tenha uma iluminação insuficiente, deve-se providenciar luzes artificiais e cuidar para que o direcionamento delas não cause desconforto.

A importância da localização

Quem trabalha em um home office não deve esperar que os familiares deixem de fazer suas atividades normais. É importante pensar em não deixar seu trabalho ser prejudicado por sons ou circulação de pessoas. Ao mesmo tempo, não permitir que a sua obrigação limite os momentos de lazer e descanso de quem não está na mesma função.

Se a atividade exigir que se passe grande parte do dia ao computador e em silêncio, a melhor opção é criar um cômodo exclusivo para o home office. Escolha um local que não atrapalhe as atividades dos outros e possa ser fechado.

Tenha uma mesa adequada

A simples existência (ou não) de uma mesa própria influencia no desempenho de alguns profissionais. “É um espaço facilitador. Em alguns casos, indispensável”, aponta a coach e especialista em organização pessoal Luciana Farias.

O mobiliário também precisa ter características compatíveis com a atividade que será desenvolvida. “Um profissional trabalha melhor usando uma mesa que apresente largura e profundidade adequadas ao que será feito, além de material que proporcione certo conforto”, comenta.

Segundo Luciana, a posição da mesa de trabalho também pode interferir bastante na relação do profissional com outras pessoas ou instrumentos de trabalho. “Para alguém que trabalha com atendimento ao público, por exemplo, ficar de costas para a porta pode atrapalhar no desempenho do trabalho.”

Objetos de uso sempre à mão

Deixe objetos de uso frequente sempre à mão. “Sobre a mesa, coloque apenas o que se usa o tempo todo. Objetos de uso sazonal podem ficar em prateleiras, estantes ou fichários. Também vale agrupar itens semelhantes: pastas, livros, papéis , material de papelaria…”, sugere a personal Renata.

Lixo sobre a mesa

Personal e coach explicam que, além de atrapalhar o desempenho, manter embalagens, copos de café e restos de comida sobre a mesa causam má impressão e podem atrair insetos. Ninguém quer ser conhecido por ter causado uma infestação de baratas no prédio.

Organize o espaço e elimine excessos

personal organizer Renata Muniz sugere eliminar documentos sem uso e distrações desnecessárias sobre a mesa, incluindo lembranças de família. O excesso também pode ser ruim, dando o aspecto de bagunça.

“Limpe e organize a superfície de trabalho e as gavetas. Diminua as distrações. Muitos objetos, livros e papéis acabam tirando o foco e nos desestimulando, gerando ansiedade e frustração desnecessárias, ensina.

 

Mais lidas
Últimas notícias