Pesquisa identifica a forma correta de abraçar e acalmar seu bebê

Estudo japonês mostrou o tipo de pressão e a duração adequada capazes de acalmar as crianças

atualizado 15/06/2020 16:57

Abraço entre avó e neta@anacoelhofoto/Reprodução/Instagram

Um dos gestos mais bonitos de contato físico, o abraço tem o poder de acalmar em diversas situações. A demonstração de carinho é essencial para os bebês, pois, além de acalmar os pequenos, cria conexões cerebrais importantes no início da vida.

No entanto, não é qualquer abraço que consegue ser marcante. Pesquisa da Universidade de Toho, no Japão, apurou que existe a forma perfeita de abraçar, de acordo com a pressão exercida e a duração.

No estudo, divulgado pelo jornal acadêmico Cell, os bebês passavam por braços de pessoas adultas voluntárias, com sensores de pressão que avaliavam a intensidade do abraço e a taxa de batimentos cardíacos das crianças analisadas.

Então, o melhor é apertar “de mais” ou “de menos”? O resultado da pesquisa mostrou que, para os bebês, o ideal é abraçar com uma pressão média, e entre 20 e 30 segundos. Apenas segurar no colo não é suficiente para acalmar as crianças, assim como apertar demais também não é a melhor alternativa.

0

A pesquisa também mostrou que abraços de pessoas com quem a criança tem relação afetiva acalmam mais do que abraços de desconhecidos, mesmo que esses os segurem com pressão média e duração de 20 a 30 segundos.

Mais lidas
Últimas notícias